Mercado fechará em 3 h 26 min
  • BOVESPA

    129.697,86
    -393,22 (-0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.750,96
    -157,22 (-0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,32
    +0,20 (+0,28%)
     
  • OURO

    1.861,70
    +5,30 (+0,29%)
     
  • BTC-USD

    39.048,18
    -993,57 (-2,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    966,40
    -26,08 (-2,63%)
     
  • S&P500

    4.238,52
    -8,07 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.231,04
    -68,29 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.436,84
    -201,69 (-0,70%)
     
  • NIKKEI

    29.291,01
    -150,29 (-0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.994,75
    -35,50 (-0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0670
    -0,0509 (-0,83%)
     

Senador quer ouvir na CPI vice do Amazonas que diz que política apoiada por Bolsonaro levou Manaus ao colapso

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O senador Humberto Costa (PT-PE) apresentou um requerimento na CPI da Covid para ouvir o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho (sem partido).

Em entrevista ao Painel nesta quarta (5), Almeida Filho relacionou o alinhamento de Wilson Lima (PSC) com Jair Bolsonaro nas políticas de combate à pandemia com o surgimento da nova cepa de coronavírus no estado.

Segundo ele, que está rompido com o governador desde maio de 2020, o ex-aliado tentou se aproximar do presidente após ser alvo da Polícia Federal, em junho passado, na investigação sobre a compra de respiradores.

"Quando houve envolvimento do governador na operação da Polícia Federal, a estratégia foi mostrar alinhamento [com Bolsonaro]. Uma coisa era clara, a política era de afirmar que se tinha uma imunidade de rebanho. O que acabou acontecendo foi um laboratório, a P1 encontrou ambiente adequado", disse.

Almeida Filho também falou da crise de oxigênio do início do ano e creditou a Lima a responsabilidade sobre o desabastecimento que resultou em mortes.

“Se esperou a água bater no pescoço para a tomada de alguma medida, quando o governo federal foi acionado o caos já estava acontecendo”, afirmou.