Mercado fechará em 33 mins
  • BOVESPA

    109.695,84
    +2.316,92 (+2,16%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.789,39
    +522,19 (+1,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,98
    +1,92 (+4,46%)
     
  • OURO

    1.804,50
    -33,30 (-1,81%)
     
  • BTC-USD

    19.120,88
    +668,91 (+3,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,78
    +10,03 (+2,71%)
     
  • S&P500

    3.629,79
    +52,20 (+1,46%)
     
  • DOW JONES

    30.032,73
    +441,46 (+1,49%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.048,25
    +143,00 (+1,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3870
    -0,0533 (-0,83%)
     

Senador pede e juiz afasta diretorias da Aneel e da ONS por apagão no Amapá

·2 minuto de leitura
Macapá sofre com segundo apagão - Foto: Rede Amazônica/Reprodução
Macapá sofre com segundo apagão - Foto: Rede Amazônica/Reprodução

O juiz João Bosco Costa, da 2ª Vara da Justiça Federal do Amapá, decidiu afastar a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), por conta do apagão que atinge o estado há 17 dias.

A decisão foi tomada a pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que vem denunciando sistematicamente os problemas vividos pelo capital amapaense desde o início do blecaute. O afastamento vale por 30 dias e as remunerações ficam mantidas.

“Portanto, por intermédio do afastamento provisório dos agentes públicos, busca-se fornecer ao juiz instrumento capaz de alcançar a verdade real, evitando-se que eventuais atuações dolosas possam atrapalhar a produção dos elementos necessários à apuração dos fatos e, por conseguinte, à formação do convencimento judicial”, diz o texto da decisão.

Leia também

Segundo o parlamentar, a medida é para evitar que os gestores obstruam a apuração das responsabilidades pelo blecaute que tem gerado caos no Estado há 17 dias.

A medida busca evitar que os gestores interfiram na apuração das responsabilidades pelo apagão que atinge o Amapá há 17 dias.

O Amapá viveu dois blecautes totais. O primeiro aconteceu no dia 3 e levou quase quatro dias para ter o fornecimento parcialmente retomado. O segundo apagão aconteceu na última terça-feira (17) e demorou pouco mais de seis horas para que o local voltasse a ter cerca de 80% do fornecimento reestabelecido.

Depois do segundo apagão, a Eletronorte, empresa estatal responsável por ativar energia térmica em geradores, garantiu que resolveria a situação para restabelecer 100% da energia até o próximo sábado (21). Há, no entanto, previsão de que as interrupções de fornecimento sigam.