Mercado fechará em 4 h 12 min
  • BOVESPA

    113.421,40
    +2.237,45 (+2,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.404,15
    +26,68 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,91
    +1,63 (+2,66%)
     
  • OURO

    1.716,90
    +1,10 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    49.531,60
    -1.323,65 (-2,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    993,31
    +6,10 (+0,62%)
     
  • S&P500

    3.826,26
    +6,54 (+0,17%)
     
  • DOW JONES

    31.326,33
    +56,24 (+0,18%)
     
  • FTSE

    6.638,08
    -37,39 (-0,56%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.670,00
    -11,75 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7319
    -0,0468 (-0,69%)
     

Senado envia projeto de reforma do setor elétrico para análise da Câmara

·1 minuto de leitura
Linhas de transmissão de energia em Diadema (SP)

SÃO PAULO (Reuters) - O Senado enviou para análise da Câmara dos Deputados um projeto de lei que propõe uma reforma na regulação do setor elétrico (PLS 232/2016), depois de o senador Jean Paul Prates (PT-RN) desistir de um recurso para discussão presencial da proposta em plenário.

O presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), confirmou nesta quarta-feira a aprovação em decisão terminativa do projeto, segundo a Agência Senado. A matéria possui apoio do governo e prevê um aumento gradual na liberalização do mercado de energia elétrica.

O texto, um substitutivo do senador Marcos Rogério (DEM-RO), havia sido aprovado pela Comissão de Infraestrutura do Senado em março de 2020 e passaria a tramitar na sequência na Câmara, mas Prates apresentou então um recurso para discussão presencial em plenário.

No início deste ano, o senador potiguar desistiu da medida e pediu a aceleração da tramitação do projeto. A solicitação foi deferida por Pacheco.

"Acreditamos que este projeto é, de fato, bastante importante e vai permitir que os consumidores escolham seus fornecedores de energia", disse Jean Paul Prates, conforme a Agência Senado.

"Há, com certeza, algumas alterações a fazer, mas passado esse período mais longo da pandemia do que esperávamos, consideramos apropriado que vá à Câmara para a sua apreciação", acrescentou.

Ainda de acordo com a agência, o líder do governo na Casa, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), comemorou o avanço do projeto, afirmando que trata-se de uma matéria "que vai destravar importantes investimentos na área do setor de energia do Brasil".

A secretária-executiva do Ministério de Minas e Energia, Marisete Pereira, disse na terça-feira que o projeto de reforma do setor elétrico é uma das prioridades da pasta neste ano, junto com a proposta de privatização da Eletrobras.

(Por Gabriel Araujo)