Mercado fechará em 5 h 37 min
  • BOVESPA

    119.697,16
    -364,84 (-0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.725,61
    -142,01 (-0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,11
    -0,24 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.786,40
    -6,70 (-0,37%)
     
  • BTC-USD

    54.655,86
    -778,48 (-1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.277,31
    +34,25 (+2,76%)
     
  • S&P500

    4.164,48
    -8,94 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    33.993,43
    -143,88 (-0,42%)
     
  • FTSE

    6.913,65
    +18,36 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.882,25
    -37,00 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5921
    -0,1099 (-1,64%)
     

Senado decreta luto de 24 horas pela morte do senador Major Olímpio; Congresso já contabiliza 3 óbitos por Covid

João de Mari
·3 minuto de leitura
BRAZIL - APRIL 23: Three Powers Square and National congress (Congresso Nacional) at sunset, 1958, by Oscar Niemeyer (1907-2012), Brasilia (UNESCO World Heritage List, 1987), Federal District. Brazil, 20th century. (Photo by DeAgostini/Getty Images)
Major Olímpio informou que contraiu a doença causada pelo coronavírus no dia 2 de março e, com o agravamento do caso, teve de ser internado na UTI (Foto: DeAgostini/Getty Images)
  • Senado decreta luto de 24 horas pela morte do ex-senador Major Olímpio em decorrência da Covid-19

  • Com a morte de Olímpio, Brasil registra três mortes de senadores pela doença

  • Frente Parlamentar de Segurança Pública lamenta morte

O Senado Federal decretou luto oficial de 24 horas pela morte do ex-senador Major Olímpio (PSL) em decorrência da Covid-19. De acordo com Rodrigo Pacheco, presidente do Congresso Nacional, a decisão foi tomada "em respeito à memória" do líder do PSL. 

"A Presidência do Congresso Nacional lamenta profundamente o falecimento do senador paulista Major Olímpio, 59 anos, vítima de complicações causadas pela infecção por Covid-19. Em respeito à sua memória, o Senado Federal decreta luto oficial de 24 horas", diz trecho do comunicado.

Leia também:

Major Olímpio informou que contraiu a doença causada pelo coronavírus no dia 2 de março e, com o agravamento do caso, teve de ser internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) 

"As sinceras condolências do Parlamento Brasileiro à família, amigos, e a todos os paulistas", diz outro trecho da nota. 

Policial Militar, Olímpio entrou na política em 2006, ao se filiar ao PP. Ao longo do tempo, passou por diversas legendas, como PV, PDT, PMB, Solidariedade, até chegar ao PSL, em 2018, na onda bolsonarista. Entre 2007 e 2015, o militar ocupou o cargo de deputado estadual por São Paulo. Em 2015, assumiu o posto de deputado federal e, em 2018, foi eleito senador.

Frente Parlamentar de Segurança lamenta morte

Senador Major Olímpio pediu desculpas para as pessoas que escutaram os palavrões ditos por ele (Foto: Pedro França/Agência Senado)
Em nota, a Frente Parlamentar da Segurança Pública também lamentou a morte de Major Olímpio (Foto: Pedro França/Agência Senado)

Em nota, a Frente Parlamentar da Segurança Pública também lamentou a morte de Major Olímpio. 

"A sociedade brasileira perde um legítimo agente público, que nunca se desviou de suas bandeiras e seus ideiais. Agradecemos a Deus pelo privilégio de tê-lo conhecido. Descanse em paz, missão cumprida", diz trecho da nota assinada pelo deputado defederal Capitão Augusto, presidente da Frente Parlamentar.  

Terceira morte de senador brasileiro pela Covid-19

Major Olímpio foi o terceiro senador brasileiro que morreu em decorrência da Covid-19. O ex-senador paraibano José Maranhão (MDB), de 87 anos, faleceu em fevereiro deste ano, e Arolde de Oliveira (PSD), ex-senador pelo Rio de Janeiro, morreu em outubro de 2020

Manifestação contra lockdown

O líder do PSL no Senado, Major Olímpio, ex-senador morto nesta quinta-feira em decorrência da Covid-19, participou de um ato contra o fechamento do comércio em Bauru, no interior de São Paulo, cerca de duas semanas antes de ser internado com a doença.

Na ocasião, a manifestação registrou aglomeração de pessoas e foi liderada pelo empresário Luciano Hang e a prefeita da cidade, Suéllen Rosin (Patriota), defensores dos ideias do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).