Mercado abrirá em 3 h 4 min

Senado confirma juíza Amy Coney Barrett para a Suprema Corte dos EUA

·1 minuto de leitura
A juíza Amy Coney Barrett foi confirmada pelo Senado dos Estados Unidos em 26 de outubro de 2020 para ocupar uma vaga na Suprema Corte

Senado confirma juíza Amy Coney Barrett para a Suprema Corte dos EUA

A juíza Amy Coney Barrett foi confirmada pelo Senado dos Estados Unidos em 26 de outubro de 2020 para ocupar uma vaga na Suprema Corte

O Senado americano, controlado dos republicanos, confirmou nesta segunda-feira (26) a juíza conservadora indicada pelo presidente Donald Trump à Suprema Corte, uma vitória para o chefe do Executivo a oito dias das eleições nos Estados Unidos.

A Câmara alta do Congresso americano aprovou por 52 votos a 48 a indicação da juíza Amy Coney Barrett, alinhando-se às diretrizes do partido.

Barrett, uma católica fervorosa contrária ao aborto, mudará a configuração do máximo tribunal, que a partir de agora terá seis juízes conservadores entre os nove que o compõe, três deles nomeados pelo presidente republicano.

O Supremo também conta com três juízes progressistas.

A nova juíza preencherá a vaga deixada pela progressista Ruth Bader Ginsburg, falecida em setembro.

A magistrada poderá participar de sua primeira audiência a partir de 2 de novembro, na véspera das eleições presidenciais. Portanto, teoricamente atuará caso se examinem possíveis apelações contra os resultados no pleito.

Nos Estados Unidos, a Suprema Corte delibera sobre temas sociais mais espinhosos, do aborto ao porte de armas, passando pelos direitos das minorias sexuais. Durante a audiência de confirmação, a juíza Barrett tomou o cuidado de não revelar seus pontos de vista sobre estes temas delicados.

bur-an/rsr/mvv