Mercado abrirá em 3 h 16 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,01
    +1,44 (+1,31%)
     
  • OURO

    1.827,20
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    21.112,66
    -338,78 (-1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    460,85
    -0,95 (-0,21%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.337,29
    +78,97 (+1,09%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.101,00
    +60,50 (+0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5345
    -0,0096 (-0,17%)
     

Senado aprova texto-base de projeto para diminuir a conta de luz e combustíveis

Senado aprova texto-base de projeto para diminuir a conta de luz e combustíveis (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Senado aprova texto-base de projeto para diminuir a conta de luz e combustíveis (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • O projeto limita alíquotas do ICMS sobre combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo;

  • 65 senadores foram a favor da medida, enquanto 12 foram contra;

  • A inflação nesses itens influencia negativamente na popularidade de Jair Bolsonaro.

O texto-base do projeto que limita as alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidentes sobre combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo foi aprovado pelo Senado nesta segunda-feira (13). 65 senadores foram a favor da medida, enquanto 12 foram contra.

Com o objetivo de frear os sucessivos aumentos principalmente dos combustíveis e da conta de luz, a proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados em caráter de urgência no mês passado. A inflação nesses itens influencia negativamente na popularidade de Jair Bolsonaro, que tenta a reeleição este ano.

Ao seguir para o Senado, a mobilização dos parlamentares governistas em torno do projeto foi tanta, que a aprovação aconteceu em uma semana de feriado em plena segunda-feira – quando, geralmente, não há sessões no Senado.

O conteúdo do projeto foi aprovado com alterações propostas pelo relator Fernando Bezerra (MDB-PE), ex-líder do governo no Senado, e por senadores. Após finalizada a análise dos destaques, ou seja, o momento dedicado a possíveis modificações no texto, a proposta voltará para a Câmara dos Deputados.

Por ser um imposto de arrecadação estadual, Bezerra se reuniu com governadores, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e secretários de Fazenda em busca de consenso antes de elaborar o relatório. Contudo, as principais reivindicações dos estados não foram atendidas na versão final do parecer.

A ideia do projeto é estabelecer que os combustíveis, a energia elétrica, as comunicações e o transporte coletivo passem a ser considerados bens e serviços essenciais. Nesse caso, não seria mais possível que os estados cobrem taxa superior à alíquota geral do ICMS, que varia entre 17% e 18%, sobre esses itens. Em conformidade com a atual legislação, a incidência do ICMS sobre esse produto supera os 30% em alguns estados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos