Mercado abrirá em 6 h 14 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,05
    +1,87 (+2,83%)
     
  • OURO

    1.780,90
    +4,40 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    57.076,77
    -169,32 (-0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.469,08
    +26,30 (+1,82%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.787,72
    +312,46 (+1,33%)
     
  • NIKKEI

    27.996,04
    +174,28 (+0,63%)
     
  • NASDAQ

    16.360,50
    +210,00 (+1,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3918
    +0,0218 (+0,34%)
     

Senado aprova projeto que cria vale gás com dividendos pagos da Petrobras para União

·2 min de leitura

BRASÍLIA — O Senado aprovou por 76 votos a favor e um contra, nesta terça-feira, o projeto que cria um vale para gás de cozinha, batizado de Programa Gás para os Brasileiros, com recursos de dividendos pagos pela Petrobras à União e outras receitas geradas pela produção de petróleo. Como o texto foi modificado, será enviado à Câmara dos Deputados, onde já tinha sido aprovado para nova apreciação.

A proposta prevê que o governo federal transfira diretamente para as famílias um valor que varia entre 50% e 100% do preço do botijão, dependendo da renda e região do país. Segundo estimativas do Congresso, a medida poderá beneficiar 20 milhões de famílias, que ganharão uma ajuda do governo federal a cada dois meses.

chamada banner Globo+ Elo

O relator da matéria, senador Marcelo Castro (MDB-PI), fez modificações na proposta aprovada pela Câmara e apensou outras propostas que tratavam do mesmo tema. A principal mudança diz respeito à fonte de custeio do benefício.

Ele excluiu do texto a cobrança da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o próprio gás, atualmente zerada. O novo programa deverá ser financiado por uma cesta de recursos, como dividendos da Petrobras à União, bônus de assinatura de leilões, royalties e participações especiais da exploração de petróleo.

— Essa matéria é da mais alta relevância e de maior alcance social, que é o auxílio ao botijão de gás que está em valores estratosféricos — afirmou o relator.

Ele disse que o programa deverá custar entre R$ 5 bilhões e R$ 6 bilhões por ano, considerando o preço do botijão a R$ 100. Até agora o governo não se opôs à iniciativa.

O líder do MDB, senador Eduardo Braga (AM), um dos autores dos projetos apensados, destacou que o programa não terá impacto nas contas públicas:

— A fonte de financiamento desse projeto que nós estamos aprovando diz respeito aos dividendos que a União recebe pelas suas ações na Petrobras. Ou seja, estamos pegando o lucro que a União obtém com essa política de preço e devolvendo para o povo que está pagando um preço absurdo pelo gás de cozinha.

De acordo com o projeto, terão direito ao vale-gás famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) do Ministério da Cidadania, que é a base do Bolsa Família, e idosos e pessoas com deficiência que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A forma como será operacionalizada a distribuição do benefício ainda terá que ser regulamentada após a aprovação no Congresso.

O programa tem caráter permanente e representa o retorno do auxílio existente no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Com a junção dos benefícios sociais no programa Bolsa Família na gestão Lula (2003-2010), o vale-gás foi extinto.


Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos