Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.837,70
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.129,05
    +80,76 (+0,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Senado aprova MP que protege bancos contra efeitos de variação excessiva do câmbio

·1 minuto de leitura
.
.

(Reuters) - O Senado Federal aprovou nesta quarta-feira o projeto que protege bancos e corretoras com investimentos fora do país contra os efeitos de uma variação cambial excessiva, informou a Agência Senado.

O texto, que se originou da Medida Provisória 930, segue agora para sanção presidencial

O projeto altera a tributação sobre o hedge que instituições financeiras fazem sobre investimentos para compensar prejuízos que possam ter com variações no câmbio. O governo argumenta que a pandemia da Covid-19 impôs a esses investimentos uma volatilidade cambial maior.

O Banco Central argumenta que a mudança corrigirá distorções na tributação de investimentos fora do país. Na regra atual, a variação cambial sobre a parte protegida do investimento não é tributada, mas a variação sobre o hedge, sim. Isso diminui o valor líquido do seguro, exigindo que os bancos busquem uma proteção mais custosa para compensar.

Com a MP, a tributação sobre a variação cambial do investimento protegido será igual à tributação sobre a variação do hedge, e ambas entrarão na base de cálculo do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

O encontro se dará de forma escalonada: a partir de 2021, 50% da variação do investimento será tributada; a partir de 2022, será 100% da variação.

LETRAS FINANCEIRAS

A MP também trata de letras financeiras, títulos emitidos por bancos e que servem para empresas captarem dinheiro no mercado. O texto autoriza o Conselho Monetário Nacional (CMN) a permitir que bancos emitam letras financeiras com prazo inferior a um ano. Os papéis poderão ser dados em garantia ao BC em troca de empréstimos. A medida beneficia bancos sem uma ampla rede de varejo para captar recursos dos clientes.

(Redação São Paulo)