Mercado fechado

Senacon pede a aéreas proposta de autorregulação de programas de milhagem

Isadora Peron

As companhias têm 30 dias para apresentar uma proposta que deixe mais transparente a política dos programas de milhagem e fidelidade A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, deu 30 dias para que as companhias aéreas apresentem uma proposta de autorregulação para deixar mais transparente a política dos programas de milhagem e fidelidade.

Uma das sugestões é que as empresas divulguem a taxa de conversão de reais por pontos, para que o consumidor possa escolher a opção de compra mais vantajosa.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, a Senacon tenta conseguir a prorrogação, por pelo menos seis meses, do prazo para a expiração das milhas acumuladas.

Além disso, pediu o estorno dos pontos, sem penalização, das passagens adquiridas e canceladas em razão da covid-19.

Nos últimos meses, houve aumento de reclamações geradas pelas medidas de isolamento social, fechamento dos aeroportos e cancelamento de voos.

Em nota, a secretaria afirmou que está analisando as respostas enviadas pelas empresas notificadas sobre o assunto, assim como o posicionamento da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf).

Após a análise das respostas, a Senacon enviará nova requisição à entidade para ter acesso aos dados das empresas sobre a pontuação expirada em 2020. Na resposta à primeira notificação, a associação detinha apenas dados de 2019, o que impossibilitou a análise mais detalhada dos impactos da pandemia nos consumidores.