Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.375,25
    -1.185,58 (-1,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.728,87
    -597,81 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    93,20
    +4,75 (+5,37%)
     
  • OURO

    1.701,80
    -19,00 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    19.572,89
    -351,14 (-1,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    445,50
    -9,53 (-2,09%)
     
  • S&P500

    3.639,66
    -104,86 (-2,80%)
     
  • DOW JONES

    29.296,79
    -630,15 (-2,11%)
     
  • FTSE

    6.991,09
    -6,18 (-0,09%)
     
  • HANG SENG

    17.740,05
    -272,10 (-1,51%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.096,25
    -445,50 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0768
    -0,0367 (-0,72%)
     

Sementes germinam em experimento na estação espacial chinesa Tiangong

As sementes de arroz e de plantas da espécie Arabidopsis thaliana, levadas ao módulo Wentian, da nova estação espacial chinesa Tiangong, germinaram e estão em bom estado. As novidades vêm de um resumo da Academia Chinesa de Ciências sobre o andamento do experimento de cultivo vegetal na estação, divulgado nesta segunda-feira (29).

A Arabidopsis thaliana pertence à família da Mostarda, e é um organismo-modelo no estudo de botânica. Além disso, foi a primeira planta cujo genoma foi completamente sequenciado.

Elas foram lançadas em julho e, ao chegar à estação, foram instaladas no gabinete de experimentos de ecologia da vida no módulo Wentian pelos astronautas da missão Shenzhou-14. As mudas de Arabidopsis desenvolveram algumas folhas, e as de arroz já chegaram a 30 cm de altura; posteriormente, haverá experimentos voltados para estudar o ciclo de vida delas.

As sementes lançadas ao módulo Wentian germinaram na microgravidade (Imagem: Reprodução/Weibo)
As sementes lançadas ao módulo Wentian germinaram na microgravidade (Imagem: Reprodução/Weibo)

Zheng Huiqiong, pesquisadora do Centro de Excelência em Ciências Vegetais Moleculares, da Academia Chinesa de Ciências, explica que a China já conseguiu “sementes espaciais” de Arabidopsis em experimentos anteriores, focados no ciclo de vida delas. Ela acrescentou que espera sucesso do experimento com o arroz, e que se tudo correr bem, o experimento ajudará a elaborar orientações técnicas para a produção de grãos no espaço.

“Esperamos que este experimento seja o primeiro no mundo a conseguir cultivar arroz ‘de semente para semente’, sob a microgravidade no espaço”, acrescentou ela. Já Zhao Liping, designer-chefe do módulo Wentian, afirmou em uma entrevista que os astronautas devem coletar sementes e amostras das plantas no fim de setembro.

O cultivo vegetal no espaço inclui algumas adversidades diferentes daquelas encontradas na Terra, como período de florescimento mais tardio e sementes com menor quantidade. Além disso, há apenas algumas culturas (como a de colza, trigo e ervilhas) que completaram experimentos no espaço e produziram sementes.

Conseguir sucesso no cultivo de vegetais no espaço é algo essencial para os planos futuros da China para a exploração do espaço profundo: segundo Zheng e seus colegas, os alimentos enviados da Terra não seriam suficientes para as necessidades dos astronautas a longo prazo, em missões a Marte ou além.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: