Mercado fechado

Sem rivais, Snapdragon 875 pode encarecer ainda mais os celulares em 2021

Rubens Eishima

Depois dos celulares topo de linha ultrapassarem a barreira dos US$ 1 mil em seus lançamentos no exterior, o novo processador Snapdragon 875 pode empurrar o preço dos aparelhos ainda mais para cima. Pelo menos é o que aponta uma publicação no fórum sul-coreano Clien, indicando que o novo componente será até 50% mais caro que o atual Snapdragon 865.

Segundo a publicação, a informação veio de uma fonte ligada à Xiaomi, para quem a Qualcomm teria listado um preço de US$ 250 (R$ 1.380) pelo componente, contra os US$ 150 (R$ 830) pedidos pelo atual Snapdragon 865.

O boato contraria em parte a informação publicada em maio pelo site 91Mobiles de que a maturidade do modem 5G Snapdragon X60 reduziria o preço do componente em relação ao atual X55.

Além do novo modem 5G, que ainda não se sabe se será integrado ou vendido em conjunto com a CPU, acredita-se que o Snapdragon 875 será fabricado no processo de 5 nm da TSMC, utilizando os novos núcleos Cortex-X1 e Cortex-A78 da ARM.

Núcleo Cortex-X1 é esperado no Snapdragon 875 (imagem: ARM)

O lançamento do novo Snapdragon é esperado para o final do ano, para adoção nos principais celulares topo de linha de 2021.

Caso se confirme, o aumento de preço aconteceria em meio a uma série de eventos como a esperada queda nas vendas de eletrônicos devido à COVID-19, o investimento em processadores mais acessíveis com o 5G para aumentar a margem de lucro dos aparelhos, a proibição dos EUA para que a TSMC fabrique as CPUs da Huawei e incertezas sobre novos chips topo de linha da Samsung.

Inflação

O preço pedido pela Qualcomm para o Snapdragon 865 já tinha sido apontado no começo do ano como um dos motivos para que fabricantes como Google, LG e Nokia atualizassem famílias de aparelhos equipados com o Snapdragon 855 por celulares com o chip intermediário Snapdragon 765 em 2020.

Entre os motivos por trás do alto preço estariam o custo do modem 5G, que não é integrado ao processador como aconteceu nas gerações anteriores da linha Snapdragon 8 e seus modems 4G.

Fonte: Canaltech