Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,38
    +1,01 (+1,55%)
     
  • OURO

    1.867,60
    0,00 (0,00%)
     
  • BTC-USD

    43.454,62
    -1.786,39 (-3,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.199,20
    +1,29 (+0,11%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,49 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.312,00
    -75,00 (-0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4099
    +0,0059 (+0,09%)
     

Sem reformas, crescimento econômico sozinho não repara finanças de países da América Latina, alerta Fitch

·1 minuto de leitura
Prédio da agência de classificação de risco Fitch Ratings. 27/05/2020. REUTERS/Dylan Martinez.

(Reuters) - A retomada do crescimento econômico na América Latina não será suficiente para reparar as finanças públicas da região sem medidas fiscais estruturais, afirmou a agência de classificação de risco Fitch Ratings em relatório.

A agência explicou que a maior parte das perspectivas negativas atribuídas a quase metade dos ratings soberanos da América Latina é explicada pelos desafios fiscais impostos aos países da região.

A Fitch prevê crescimento real do PIB latino-americano de 4,6% em 2021, acima da taxa de 4,1% esperada no começo do ano. Em 2020, a economia da região tombou 6,7%.

"As perspectivas de recuperação são impulsionadas pela retomada da China, mais estímulos dos EUA e preços mais altos das commodities", disse a agência.