Mercado fechará em 6 h 27 min
  • BOVESPA

    119.628,73
    +64,29 (+0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,55
    -0,08 (-0,12%)
     
  • OURO

    1.793,20
    +8,90 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    57.471,55
    +1.582,12 (+2,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.476,12
    +4,71 (+0,32%)
     
  • S&P500

    4.163,00
    -4,59 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    34.274,68
    +44,34 (+0,13%)
     
  • FTSE

    7.049,74
    +10,44 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.488,00
    -3,00 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4074
    -0,0195 (-0,30%)
     

Sem querer, Apple explica por que o iMessage nunca ganhará versão para Android

Alveni Lisboa
·4 minuto de leitura

Se tem algo que a Apple faz com destreza é desenvolver bons aplicativos exclusivos para seus sistemas operacionais. O iMessage é um exemplo disso, já que possui vários recursos e integração com o macOS. Quem sai do iOS e vai para o Android pode sentir falta do mensageiro, que jamais desembarcou no concorrente exatamente por ser um “trunfo” da Maçã.

Isso é o que a própria empresa pensa, conforme foi revelado nos e-mails de funcionários da Apple, inclusive do alto escalão, presentes na ação de disputa entre a Epic Games e a fabricante do iPhone. A criadora de Fortnite abriu um processo por suposto monopólio e alega que uma das formas pelas quais a gigante de Cupertino fideliza seus clientes é com base na restrição do seu ecossistema de dispositivos.

A peça judicial cita comentários feitos por Eddie Cue, vice-presidente sênior de Software e Serviços de Internet da Apple, Craig Federigh, vice-presidente sênior de Engenharia de Software, e Phil Schiller, vice-presidente sênior de Marketing Global.

“O [motivo] mais difícil para sair do universo Apple é o iMessage. [...] O iMessage é um sério aprisionamento”, foi o que um ex-funcionário não identificado da Apple pontuou em e-mail enviado a Schiller em 2016. “Levar o iMessage para o Android vai nos prejudicar mais do que nos ajudar, este e-mail ilustra o porquê”, respondeu o executivo.

Quando o balãozinho é azul significa que o outro usuário também possui iMessage (Imagem: Divulgação/Apple)
Quando o balãozinho é azul significa que o outro usuário também possui iMessage (Imagem: Divulgação/Apple)

Na mesma conversa, Cue revelou que a estratégia é proposital. “O iMessage no Android serviria simplesmente para remover [um] obstáculo para as famílias que têm iPhone darem a seus filhos telefones com Android”, teria dito Federighi. Embora haja soluções alternativas para usar o iMessage no Android, nenhuma é particularmente confiável. A única forma eficaz de usar a plataforma é ser proprietário de algum dispositivo da Maçã.

De acordo com o documento da Epic, a Apple teria decidido não portar o iMessage para Android já em 2013, após o lançamento do serviço de mensagens com iOS 5. Cue admite que a Apple “poderia ter feito uma versão no Android que funcionasse com iOS para que os usuários de ambas as plataformas pudessem trocar mensagens entre si perfeitamente”.

Por que o iMessage aprisiona?

Embora não seja tão popular aqui no Brasil, o iMessage é o serviço de chat mais usado nos sistemas da Apple nos Estados Unidos. Não seria exagero dizer que o bate-papo está para os norte-americanos assim como o WhatsApp está para os brasileiros, que por aqui está em mais de 95% dos celulares.

(Imagem: Reprodução/Statista)
(Imagem: Reprodução/Statista)

Segundo dados do site Statista, publicados em julho de 2020, o iMessage é o terceiro app mais usado para conversas na terra do Tio Sam, usado por 17% dos usuários. Ele só fica atrás do Facebook Messenger e do Instagram, ambos atrelados às suas respectivas redes sociais. Se considerarmos apenas a categoria de mensageiros, ele está à frente do WhatsApp, que "só" tem 12% de penetração por lá, e do Line, com menos de 2% da preferência.

Em razão disso, o iMessage é usado com o mesmo propósito dos demais serviços de chat: conversar com amigos, contatar colegas de trabalho, se relacionar com clientes e, claro, manter contato com entes familiares. Sendo assim, muitos pais preferem oferecer modelos do iPhone para falar diretamente com seus filhos — mesmo que um celular com Android custe um terço do valor.

Restrição de apps

Não é surpresa alguma que essas informações venham à tona. Quem acompanha o mercado sabe que a Apple adota uma política bastante restritiva quanto aos seus sistemas e apps: o macOS, por exemplo, é desenhado para rodar em máquinas com a arquitetura da Maçã — o que impede que um usuário do Windows troque para esse sistema operacional.

Suíte de aplicativos da Apple só roda no macOS (Imagem: Divulgação/Apple)
Suíte de aplicativos da Apple só roda no macOS (Imagem: Divulgação/Apple)

Há ainda o “fator FaceTime”, funcionalidade para videochamadas do iPhone somente disponível no ecossistema da empresa. Assim como o serviço de chat, ele também é um app que prende os usuários porque não tem custo adicional e nem utiliza o pacote de dados.

A empresa sabe que disponibilizar seu aplicativo mais popular poderia retirar um dos argumentos mais fortes para se manter fiel ao iPhone e ao iPad. O iMessage no Android prejudicaria a Apple? Deixe sua opinião.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: