Mercado abrirá em 9 h 12 min
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,20
    +0,29 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.866,20
    -13,40 (-0,71%)
     
  • BTC-USD

    38.791,34
    +3.766,47 (+10,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    969,27
    +27,45 (+2,91%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.109,52
    +160,79 (+0,56%)
     
  • NASDAQ

    14.021,75
    +27,50 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1872
    -0,0054 (-0,09%)
     

Sem provas, Bolsonaro classifica mortos de Jacarezinho como traficantes que 'roubam e matam'

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Sem que as investigações tenham sido concluídas, o presidente Jair Bolsonaro classificou como "traficantes que roubam, matam e destroem famílias" os mortos na operação na favela doJacarezinho, no Rio, em seu perfil oficial de rede social na noite deste domingo (9).

Na publicação, Bolsonaro parabenizou a Polícia Civil do estado. Esta foi a primeira manifestação pública direta sobre a operação mais letal da história do Rio de Janeiro.

"Ao tratar como vítimas traficantes que roubam, matam e destroem famílias, a mídia e a esquerda os iguala ao cidadão comum, honesto, que respeita as leis e o próximo. É uma grave ofensa ao povo que há muito é refém da criminalidade. Parabéns à Polícia Civil do Rio de Janeiro", disse.

Ele também prestou homenagem ao policial André Leonardo, morto durante a ação.

"Nossas homenagens ao Policial Civil André Leonardo, que perdeu sua vida em combate contra os criminosos. Será lembrando pela sua coragem, assim como todos os guerreiros que arriscam a própria vida na missão diária de proteger a população de bem. Que Deus conforte os familiares", postou.

A ação na comunidade de Jacarezinho, na zona norte carioca, ocorreu na quinta-feira (6) e deixou pelo menos 28 mortos.

A operação ocorreu sob a vigência de uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que limita ações policiais em comunidades desde junho do ano passado, durante a pandemia do novo coronavírus. As polícias são obrigadas a justificar as incursões ao Ministério Público.

Os alvos da ação eram 21 réus acusados de associação ao tráfico. A denúncia do Ministério Público contra eles tem como base fotos publicadas em redes sociais em que aparecem armados, mas não cita homicídios, aliciamento de menores e sequestro de trens como divulgado pela Polícia Civil.

A corporação negou que tenha ocorrido irregularidades nas mortes provocadas por seus agentes e afirmou que todos atuaram em legítima de defesa.