Mercado fechado

Sem luz, cidade do Amapá tem de armazenar vacinas em açougue

·1 minuto de leitura
MACAPA, BRAZIL - NOVEMBER 08: A general view of the 230/69 kV Macapa substation during a blackout due to a fire on November 8, 2020 in Macapa, Brazil. The substation located in the North Zone of Macapa undergoes maintenance after a fire that has left 89% of the state of Amapa (about 765 thousand people) without electricity since Tuesday the 3rd. There is a lack of running water in the city and ATMs and card machines do not work and only gas stations with a generator are able to operate. (Photo by Luiza Nobre/Getty Images)
Incêndio em subestação energética causou crise de abastecimento em todo o estado do Amapá (Foto: Luiza Nobre/Getty Images)

A falta de luz continua sendo um problema no Amapá. Na cidade de Tartarugalzinho, de 17 mil habitantes, na região de floresta do estado, as vacinas da unidade básica de saúde estavam em risco, já que as geladeiras do local não poderiam ser ligadas. Por isso, as imunizações tiveram de ser guardadas em um açougue. A informação é do Estadão.

Entre as vacinas transferidas estão a tríplice viral, a de hepatite B e a antirrábica. O açougue era um dos únicos lugares de Tartarugalzinho que tem luz. A cidade fica a 230 km ao norte de Macapá.

Segundo o Estadão, as imunizações chegaram ao açougue na quarta-feira passada e ficaram seis dias no local, até a segunda-feira, 9, quando a unidade básica de saúde voltou a ter luz. Ao jornal, a diretora da UBS relatou que o local não tem gerador.

“Todas as vacinas utilizadas pela população tiveram de sair daqui por causa do apagão. Não temos gerador. Armazenamos tudo em caixas térmicas. Mas depois tivemos que levar para o açougue que tem gerador”, afirmou Bete Correia.

Leia também

O açougueiro do local onde ficaram as vacinas explicou que era uma urgência. “As vacinas poderiam estragar e deixar de atender muitas crianças”, relatou Alessandro Juan. No começo do ano, ele instalou um gerador no estabelecimento e, com isso, pôde ajudar comerciantes e moradores da região.

Parte do fornecimento de energia foi reestabelecido no estado, em especial na capital, Macapá. Na última quarta-feira, 11, um laudo mostrou que o incêndio não foi provocado por um radio.