Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.910,10
    -701,55 (-0,62%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.661,86
    +195,84 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,29
    +0,68 (+0,79%)
     
  • OURO

    1.792,30
    -2,70 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    37.821,50
    +837,04 (+2,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,83
    +21,37 (+2,54%)
     
  • S&P500

    4.431,85
    +105,34 (+2,43%)
     
  • DOW JONES

    34.725,47
    +564,69 (+1,65%)
     
  • FTSE

    7.466,07
    -88,24 (-1,17%)
     
  • HANG SENG

    23.550,08
    -256,92 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.430,25
    +443,50 (+3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9813
    -0,0427 (-0,71%)
     

Sem grana para comprar? Startup aluga iPhone a R$ 183 por mês

·2 min de leitura

Se o iPhone está caro demais, que tal alugá-lo? É o que propõe a startup mineira Allugator, dona de uma plataforma de assinatura de eletrônicos. Celulares da Apple da geração atual e das passadas podem ser obtidos com planos a partir de R$ 183 mensais, além de smartwatches e acessórios.

A startup foi fundada em 2016 para popularizar o acesso a itens eletrônicos a baixo custo e expandir ao conceito de economia circular. Dois de seus concorrentes são a Uniir e a Tech Fácil, união da Porto Seguro com a Samsung. O setor ainda é de nicho mas deve crescer devido ao custo cada vez mais alto de aparelhos novos no Brasil, principalmente os iPhones.

O Allugator tenta se diferenciar dos rivais por se mostrar como um clube de assinatura; além de seu principal serviço de contratação temporária do celular, a startup oferece vantagens como celular reserva, aplicação de película, capinha protetora e seguro para os aparelhos.

O plano para iPhones tem duração de 12 meses. O cliente pode escolher o pagamento anual — onde paga cerca de 40% do valor de varejo do aparelho — com pagamento à vista por boleto ou Pix, ou mensal em 12 prestações no cartão de crédito.

(Imagem: Erick Teixeira/Canaltech)
(Imagem: Erick Teixeira/Canaltech)

“A nossa ideia é proporcionar acesso ao invés de propriedade”, disse à Exame Cadu Guerra, CEO e cofundador do Allugator ao lado de Pedro Santanna. “Sem dúvida é a resposta mais inteligente e mais sustentável para o consumidor e para o mundo”.

A startup tem atualmente cerca de 5 mil assinantes e mais de 400 mil pessoas na fila de espera para alugar um iPhone. Também recebeu recentemente um aporte de R$ 42 milhões do Sapiensbank, banco brasileiro voltado a diretrizes ESG (sociais, ambientais e de governança). Neste ano, a expectativa da Allugator é captar R$ 200 milhões.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos