Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.700,20
    -763,82 (-1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Sem alarde, Firefox testa mudança histórica e surpreende usuários

·3 minuto de leitura

Quem usa o Firefox já está acostumado a ter o Google como mecanismo de pesquisa padrão na hora de realizar as buscas. Mas isso pode mudar em breve, afinal a Mozilla conduz um experimento com um pequeno grupo de usuários que terão o Microsoft Bing como padrão. Por enquanto, apenas 1% dos usuários de desktops estão com o "novo" sistema de buscas e isso deve continuar até janeiro.

Mesmo com essa mudança forçada, o usuário ainda poderá restabelecer a sua preferência como padrão nas configurações. É um trabalho extra, mas que pode ajudar a Mozilla a mensurar a aceitação ou rejeição da sua mudança.

Para alguns usuários, o Bing será o mecanismo padrão do Firefox (Imagem: Captura de tela/Canaltech)
Para alguns usuários, o Bing será o mecanismo padrão do Firefox (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

O Google ainda é o queridinho das pessoas não somente pelo tamanho da empresa ou pela sua fama, mas porque, na visão da maioria, apresenta os resultados de busca mais precisos. A empresa também está em contante reformulação para entregar novas soluções, como a compreensão da linguagem natural, a integração com o Lens e os hubs informativos — casos da Covid-19 e da Olímpíada de Tóquio 2020.

Uma possível mudança generalizada para o Bing é algo que surpreende o mercado, já que o Google é responsável por mais de três quartos da receita anual da Mozilla, fruto da integração com o buscador. A principal especulação neste sentido é que a Microsoft possa estar disposta a desembolsar mais dinheiro que a rival para conquistar o espaço no Firefox.

Novas fontes de receita

A Mozilla tem interesse em criar outras formas de gerar receitas, como produtos por assinatura e VPN, para tentar se manter menos dependente de terceiros. Abandonar o parceiro de longa data, no entanto, parece algo arriscado a se fazer, a não ser que exista uma proposta mais consistente do outro lado.

Mas a guinada também pode ter relação com a preservação da privacidade do usuário: com o FLoC, o Google despertou a desconfiança de vários desenvolvedores de navegadores, em especial da Mozilla. A organização foi uma das primeiras a anunciar que não concorda com o novo modelo proposto, porque ele seria falho e abriria brechas para a coleta de muito mais dados do que os atuais.

O mercado de buscadores manteve-se estável nos últimos 12 meses(Imagem: Reprodução/StatCounter)
O mercado de buscadores manteve-se estável nos últimos 12 meses(Imagem: Reprodução/StatCounter)

Dados da empresa Statcounter revelam que o Google é o mecanismo de busca mais utilizado, com 92,03% do mercado. Na segunda posição, o Bing tem apenas 2,48% das pesquisas totais, número que se mantém estável nos últimos anos. Yahoo, Baidu, Yandex e DuckDuckGo completam o TOP 5, com uma audiência somada dos quatro rivais de 7,21%.

Em resposta à solicitação de comentários do portal TechRadar, a organização limitou-se a dizer que faz estudos regulares e que, no momento, o experimento altera o mecanismo de pesquisa padrão. É claro que não dá para afirmar que a Mozilla vai realmente abandonar sua parceria de sucesso para fechar acordo com a Microsoft. Como os testes vão até janeiro, ainda há muita água para passar em baixo da ponte e a receptividade pode ser pior (ou melhor) do que a expectativa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos