Mercado abrirá em 2 h 10 min

Sem acordo, Fux marca nova audiência sobre tabela do frete para abril

FILIPE OLIVEIRA E MARIANA GRAZINI
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 25.09.2019 - O ministro Luiz Fux durante sessão plenária do STF (Supremo Tribunal Federal), sob a presidência do ministro Dias Toffoli. O STF julga hoje recurso relativo às alegações finais em processos de delatores da Lava Jato que pode levar a anulação de condenações, inclusive a do ex-presidente Lula. Do lado de fora, manifestantes protestam em defesa de Bolsonaro, Moro e da Lava jato e contra os ministros do STF. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro Luiz Fux, do STF (Supremo Tribunal Federal), marcou uma nova audiência de conciliação entre caminhoneiros e empresas para tratar da tabela do frete para o dia 27 de abril, após ouvir os argumentos dos dois grupos nesta terça-feira (10).

Os caminhoneiros não abrem mão dos pisos mínimos, fixados em 2018 para encerrar as paralisações iniciadas em maio daquele ano.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o caminhoneiro Carlos Alberto Litti Dahmer disse que o grupo entrou na audiência com desconfiança, mas viu avanços. Porém, apesar de as empresas terem apresentado propostas para melhorar a situação da categoria, o grupo não abre mão dos pisos, afirmou.

Wallace Landim, o Chorão, que ganhou notoriedade na paralisação de 2018, disse, por meio de nota à imprensa, que não houve acordo e que seguirá sempre defendendo a tabela. Segundo ele, os pisos mínimos são fundamentais para a dignidade dos caminhoneiros autônomos.

Cassio Borges, superintendente jurídico da CNI (Confederação Nacional da Indústria), diz que o prazo até a próxima reunião foi fixado com o ministro para que as partes busquem soluções e propostas alternativas ao tabelamento.

A confederação é autora de uma das ações contra o tabelamento. Caso não haja acordo que a revogue, defende que a constitucionalidade do tema volte a pauta de julgamentos.