Mercado fechará em 4 h 37 min

Selos "Twitter for Android" e "Twitter for iPhone" serão aposentados

O Twitter não mais exibirá de qual dispositivo o tuíte foi publicado, anunciou o dono da rede social Elon Musk. Em post feito nesta segunda (14), o bilionário revelou que a conhecida funcionalidade da plataforma será cortada para poupar desempenho e espaço na tela.

A retirada do recurso foi mencionada por Musk numa thread em que ele discutia o suposto mau desempenho do app do Twitter no Android. “E finalmente pararemos de adicionar em qual dispositivo um tuíte foi escrito (desperdício de espaço na tela e processamento) abaixo de cada post. Literalmente ninguém sabe por que fizemos isso”, pontuou o empresário.

Na prática, a remoção não deve afetar em nada na usabilidade do Twitter, mas impedirá a criação de novos memes relacionados a essa informação. A descrição de origem de um tuíte já protagonizou várias situações virais da Rede do Passarinho Azul, como na ocasião em que uma jovem supostamente fez um post a partir de uma geladeira inteligente da LG numa tentativa de fugir do castigo imposto pela sua mãe.

Isso é realmente inútil?

Elon Musk pode não entender, mas a descrição do dispositivo tem sua utilidade no Twitter. Numa página de suporte da plataforma, o Twitter esclarece que a etiqueta serve para dar mais contexto às publicações, dando mais dados para que o leitor confira a autenticidade do conteúdo.

Além de mostrar a marca do sistema, a etiqueta de origem também define quando o post é feito por ferramentas complementares do Twitter, como o Twitter Ads. Dessa forma, o usuário consegue conferir com mais agilidade quando a publicação é, de fato, de uma empresa, por exemplo.

A funcionalidade também serve para dar mais visibilidade para clientes alternativos do Twitter, como o Tweetie e o Tweetdeck. Dessa forma, desenvolvedores responsáveis por ferramentas complementares para fins específicos (como o uso intenso de power users) conseguem atrair novos usuários. A partir de agora, esse processo ficará um pouco menos transparente.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: