Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.440,19
    -1.737,36 (-1,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.694,20
    -469,81 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,45
    -1,56 (-1,93%)
     
  • OURO

    1.928,20
    -1,80 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    23.158,34
    +144,77 (+0,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,00
    +8,99 (+1,74%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.218,50
    +111,75 (+0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5465
    +0,0268 (+0,49%)
     

Seguro-desemprego deve aumentar em 2022

Dinheiro na carteira
Estima-se que cerca de 8,2 milhões de pessoas recorram ao seguro desemprego

(Getty Images)

  • Seguro-desemprego será maior em 2022

  • Aumento acontece devido ao reajuste no salário mínimo

  • Diferença não traz maior poder de compra aos trabalhadores, já que só corrige a inflação

Com o aumento do salário mínimo de 2022, que saiu de R$ 1.100 para R$ 1.212, o seguro-desemprego também será maior. Isso porque os valores são calculados com base no salário mínimo aprovado, assim como acontece com os benefícios do INSS.

Leia também:

No entanto, vale ressaltar que o aumento não indica que o trabalhador terá um ganho real ou maior poder de compra, já que o valor apenas corrige a inflação.

Para 2022, estão previstos R$ 41,7 bilhões, na expectativa de que cerca de 8,2 milhões de pessoas recorram ao seguro desemprego.

Quem tem direito

O benefício é direcionado aos trabalhadores com carteira assinada que forem demitidos sem ser por justa causa. O pagamento varia de três a cinco parcelas de um salário mínimo.

A lei ainda prevê que o trabalhador que deseje o seguro desemprego tenha trabalhado entre seis e doze meses, não tenha outra fonte de renda para sustento familiar e não esteja recebendo outros benefícios previdenciários contínuos, como auxílio-acidente, auxílio suplementar ou abono de permanência em serviço.