Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.525,64
    +2.300,16 (+4,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Segurança de usuários da Meta pode ser afetada até 2023

·2 min de leitura
Meta não planeja implementar criptografia ponta a ponta (E2EE) por padrão no Messenger e Instagram até 2023. (REUTERS/Carlos Barria)
  • Meta (ex-Facebook) não tem um plano para implementar criptografia até 2023

  • Criptografia ajuda a prevenir abuso infantil e outros crimes online

  • Empresa quer fazer criptografia dentro da companhia e, não, por um terceiro

Meta - controladora do Facebook, Instagram e WhatsApp - não planeja implementar criptografia ponta a ponta (E2EE) por padrão no Messenger e Instagram até 2023.

Leia também

A empresa fundiu os chats do Messenger e do Instagram no ano passado, como parte de seu plano para criar um sistema de mensagens unificado em todas as suas plataformas. E embora as mensagens enviadas pelo Messenger e Instagram possam ser E2EE, essa opção não é ativada por padrão - e provavelmente não será - até em 2023. O WhatsApp já suporta E2EE por padrão.

Em uma reportagem do jornal inglês The Telegraph, Antigone Davis, chefe de segurança de Meta, atribui o atraso às preocupações com a segurança do usuário. Uma vez que E2EE significa que apenas o remetente e o destinatário verão suas conversas, Davis diz que Meta quer garantir que isso não interfira na capacidade da plataforma de ajudar a impedir atividades criminosas.

Assim que o E2EE estiver disponível por padrão, Davis observa que a empresa “usará uma combinação de dados não criptografados em nossos aplicativos, informações de contas e relatórios de usuários” para ajudar a mantê-los seguros, ao mesmo tempo que “auxilia nos esforços de segurança pública”.

Em uma postagem de blog no início deste ano, Meta disse que o E2EE padrão estaria disponível no Instagram e no Messenger “no mínimo em 2022”. Mas agora, Davis diz que Meta quer "fazer isso direito", então a empresa planeja adiar a estreia do recurso até 2023.

Também entrará em vigor em 2023 o projeto de lei de segurança online do Reino Unido, que exigirá plataformas on-line para proteger as crianças, bem como resolver prontamente o conteúdo abusivo. Isso pode impedir os planos do Facebook de habilitar o E2EE por padrão, já que a secretária do Interior do Reino Unido, Priti Patel, criticou seu uso no passado.

Criptografia ajuda a prevenir abuso infantil online

De acordo com uma reportagem da BBC, Patel afirma que o E2EE pode tornar mais difícil prevenir o abuso infantil online, afirmando: “Infelizmente, em um momento em que precisamos tomar mais medidas. O Facebook ainda está buscando planos E2EE que colocam o bem trabalho e o progresso que já foi feito em risco”.

No ano passado, os Estados Unidos se juntaram ao Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Canadá, Índia e Japão em uma chamada para dar acesso criptográfico backdoor às autoridades locais, o que permitiria às autoridades visualizar mensagens e arquivos criptografados se um mandado fosse emitido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos