Mercado fechado

Senador chama segundo apagão no Amapá de 'criminoso'; Ministério diz que causas serão investigadas

·1 minuto de leitura
Macapá sofre com segundo apagão - Foto: Rede Amazônica/Reprodução
Macapá sofre com segundo apagão - Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Diante do novo apagão vivido pelo Amapá na noite desta terça-feira (17), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) chamou o ocorrido de “criminoso” e pediu o afastamento dos diretores ONS (Operador Nacional de Sistema Elétrico) até a conclusão das investigações. O problema atingiu 13 das 16 cidades do estado e ainda não está totalmente solucionado.

Os municípios já enfrentavam um fornecimento racionado por causa de um blecaute ocorrido no dia 3 de novembro. A ONS confirmou o novo apagão e afirma que trabalha para restabelecer a totalidade do fornecimento elétrico no estado o “mais breve possível".

Leia também

Nas redes sociais, moradores de bairros de Macapá relataram que houve um breve restabelecimento, mas sempre com oscilações. De acordo com a TV Globo, apenas hospitais, órgãos públicos e alguns estabelecimento comerciais conseguiram seguir funcionando com o uso de geradores.

“A energia aqui em Macapá, está sendo reestabelecida em alguns bairros, mas temos notícias que municípios do interior continuam no escuro. Por outro lado, estamos em um apagão de informações sobre o que de fato ocorreu e qual a condição do sistema", escreveu o senador Randolfe Rodrigues em uma rede social.

Segundo a Eletronorte, houve um desligamento da Usina Hidrelétrica Coaracy Nunes, que está fornecendo parte do abastecimento ao Amapá, em decorrência de "um evento externo à usina, provavelmente no sistema de distribuição de energia elétrica".

Em nota, a empresa diz ainda que técnicos restabeleceram o funcionamento da usina e que o fornecimento começou a ser retomado pela ONS. O Ministério de Minas e Energia (MME) afirmou que as causas estão sendo investigadas.