Mercado fechará em 6 h 33 min
  • BOVESPA

    109.555,68
    +711,94 (+0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.557,65
    -750,06 (-1,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,63
    +0,34 (+0,48%)
     
  • OURO

    1.772,70
    +8,90 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    43.057,37
    -629,91 (-1,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.078,84
    -55,55 (-4,90%)
     
  • S&P500

    4.357,73
    -75,26 (-1,70%)
     
  • DOW JONES

    33.970,47
    -614,41 (-1,78%)
     
  • FTSE

    6.981,06
    +77,15 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.064,75
    +55,25 (+0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2406
    -0,0041 (-0,07%)
     

Segunda unidade do OnePlus Nord 2 explode em menos de dois meses

·2 minuto de leitura

Um usuário do OnePlus Nord 2 levou um grande susto nesta semana. O celular — pertencente ao advogado indiano Gaurav Gulati — começou a soltar fumaça dentro do bolso, e logo entrou em combustão e foi completamente destruído em segundos. Esse já é o segundo caso de explosão nesse modelo específico nas últimas semanas, tendo sido ele lançado em julho deste ano.

Explosão causou problemas físicos e psicológicos ao advogado (Imagem: LetsGoDigital)
Explosão causou problemas físicos e psicológicos ao advogado (Imagem: LetsGoDigital)

Segundo a vítima, o aparelho estava com cerca de 90% de carga, não estava conectado na tomada e não tinha sido utilizado em instantes anteriores à combustão. Gulati reportou que sentiu o smartphone esquentar de uma hora para outra e conseguiu se afastar do dispositivo rapidamente, mas mesmo assim sofreu ferimentos na área do abdômen, problemas ao respirar por conta da fumaça, e efeitos na audição e visão por conta da forte explosão. Além disso, o trauma foi tão forte que o advogado está passando por tratamento psicológico.

A OnePlus entrou em contato com o advogado requisitando o aparelho para diagnósticos, além de oferecer assistência e reembolso. Porém, Gulati não aceitou, e promete levar o caso à justiça, pois considera que o tratamento da marca foi insensível em relação ao trauma e aos ferimentos que ele sofreu. Ele espera que a companhia pare imediatamente as vendas do Nord 2, e ainda faça um recall das unidades que já estão em circulação.

O desentendimento entre as partes gira em torno de uma desconfiança por parte da OnePlus em relação à veracidade do relato de Gulati. Entre os dois casos semelhantes registrados anteriormente por usuários do Nord 2, um deles foi falso, e nunca chegou a realmente acontecer. Já no outro, a companhia alega que fatores externos causaram a explosão, que não foi resultado de falhas na construção do produto.

Por isso a marca não reconhece o caso antes de fazer uma inspeção no aparelho. Em comunicado, a OnePlus afirmou que "nossa equipe entrou em contato imediatamente com o indivíduo para verificar a legitimidade da alegação. Porém, mesmo com múltiplas tentativas de análise do dispositivo, ele nos negou a oportunidade de executar um diagnóstico correto. Com isso, é impossível alcançar as demandas do indivíduo para compensação". Gulati, em resposta, afirma que a marca foge de suas responsabilidades ao fazer falsas acusações para cobrir suas falhas.

Além disso, a OnePlus também afirma que seus produtos passam por "vários testes de qualidade e segurança, incluindo diversos testes de impacto e pressão, para que cheguem aos padrões altos da indústria e continuem seguros para uso".

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos