Mercado fechado

Segunda Turma do STF adia julgamento de Renan

Luísa Martins

Ele foi acusado pelo Ministério Público de solicitar vantagens indevidas ao então presidente da Transpetro Sérgio Machado, entre 2008 e 2012 A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) adiou para a terça-feira da próxima semana o julgamento da denúncia contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro por fraudes relacionadas à Transpetro, braço de logística e transporte da Petrobras.

Hoje, o relator do caso, ministro Edson Fachin, leu o relatório do caso. Depois, se manifestaram a Procuradoria-Geral da República (PGR), autora da acusação, e a defesa do parlamentar, representada pelo advogado Luís Henrique Machado.

Os votos dos ministros, no entanto, ficaram para a semana que vem. Participam do julgamento, além de Fachin, os ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cármen Lúcia.

Se pelo menos três ministros votarem pelo recebimento da denúncia, Renan vira réu no processo e o STF abre uma ação penal contra ele, para o aprofundamento das investigações.

Renan foi acusado pelo Ministério Público de solicitar vantagens indevidas ao então presidente da Transpetro Sérgio Machado, entre 2008 e 2012.

Renan Calheiros

Wilson Dias/Agência Brasil

O dinheiro desviado abasteceu diretórios estaduais e municipais do MDB indicados pelo senador, por meio de doações oficiais da empresa NM Engenharia, contratada pela Petrobras. Em troca, Machado direcionava as licitações e contratações da estatal em favor da construtora.