Mercado fechado

Segunda onda da COVID-19 | Itália registra maior número de novos casos em 24h

Fidel Forato
·3 minutos de leitura

Na pandemia da COVID-19, alguns países europeus voltam a enfrentar a ameaça do novo coronavírus (SARS-CoV-2), em movimento chamado de segunda onda da doença. Nesta quarta-feira (14), o Ministério da Saúde italiano anunciou 7.332 novas infecções nas últimas 24 horas. Segundo a pasta, essa é a maior contagem diária já registrada no país. Quanto aos óbitos, apenas 43 no mesmo intervalo de tempo.

Antes de hoje, a maior contagem diária de novos casos da COVID-19 havia sido registrada no dia 21 de março, com 6.557 infecções e 793 óbitos. Quanto as mortes, os números registrados agora são muito distantes do auge da crise do coronavírus na Itália, onde o país chegou a notificar mais de 900 óbitos em um único dia.

Em segunda onda, Itália bate recorde de novos registros da COVID-19 em 24h (Imagem: Reprodução/ Gabriella Clare/ Unsplash)
Em segunda onda, Itália bate recorde de novos registros da COVID-19 em 24h (Imagem: Reprodução/ Gabriella Clare/ Unsplash)

Nos meses de março e abril, o sistema de saúde italiano chegou, inclusive, a colapsar em algumas regiões com a lata demanda de pacientes com a COVID-19. Até o momento, os óbitos permanecem relativamente baixos. No entanto, o número de pacientes contaminados em UTIs está aumentando diariamente. Hoje, são 539 internações, enquanto foram cerca de 40 pessoas na segunda metada de julho.

Vale lembrar que a Itália foi o primeiro país da Europa a ser atingido pela COVID-19 e tem o segundo maior número de mortos no continente. São 36.289 mortes acumuladas desde o aparecimento do coronavírus em fevereiro, de acordo com dados oficiais do governo. Além disso, foram registrados mais de 365 mil casos da infecção.

Em 24h, Itália bate recorde de novos casos de coronavírus, mas óbitos continuam em baixa (Imagem: Reprodução/ OMS)
Em 24h, Itália bate recorde de novos casos de coronavírus, mas óbitos continuam em baixa (Imagem: Reprodução/ OMS)

Entre os números do país e as informações compartilhadas pela OMS (Organização Mundial da Saúde), há algumas variações por conta do horário de fechamento dos relatórios internacionais sobre a pandemia da organização.

Impactos da segunda onda da COVID-19 na Itália

Para conter o contágio da COVID-19, a Itália impôs um severo lockdown e evitou que a situação epidemiológica do país piorasse, segundo as autoridades locais. Agora, com a segunda onda de novas infecções nas últimas semanas, o governo impôs na terça-feira (13) uma outra leva de restrições. Reuniões, restaurantes, esportes e atividades escolares voltam a ser limitados, por exemplo.

De acordo com o primeiro-ministro do país, Giuseppe Conte, há tentativas de se evitar uma série de novas restrições tão rígidas quanto as já adotadas pelo país, ainda mais em um momento em que a economia da região volta a se recuperar.

Entretanto, cientistas italianos alegam que um lockdown pode ser a única maneira de impedir que as infecções voltem a crescer. “Penso que um bloqueio durante o Natal é realista, nos permitiria ajustar o sistema, diminuir a transmissão do vírus e aumentar o rastreamento de contato”, afirma Andrea Crisanti, professora de microbiologia da Universidade de Pádua.

Na Europa, outros países voltam a registrar alta nos casos da COVID-19. Nesse cenário, a Itália ainda registra significativamente menos casos diários do que a França, a Espanha e o Reino Unido, por exemplo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: