Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.774,47
    -1.929,10 (-4,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Segunda dose da vacina anticovid-19 aumenta proteção, diz J&J

·1 minuto de leitura
Dose da vacina Johnson & Johnson em Culver City, Califórnia, em 5 de agosto de 2021

A multinacional de produtos farmacêuticos e cosméticos Johnson & Johnson anunciou, nesta quarta-feira (25), que uma segunda dose de sua vacina contra a covid-19 aumentou a imunidade da primeira e até agora única dose.

Em dois estudos clínicos ainda sem a revisão por pares, a injeção adicional do antiviral Johnson & Johnson gerou níveis de anticorpos contra o coronavírus nove vezes maiores do que aqueles observados após quatro semanas de uma primeira dose, disse a empresa em um comunicado.

O governo de Joe Biden anunciou planos para que todos os americanos imunizados com vacinas de RNA mensageiro, Pfizer e Moderna, recebam uma terceira dose oito meses após a segunda do esquema.

As autoridades dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) indicaram que consideram que uma segunda dose da vacina J&J será necessária, mas precisam de mais dados antes de fazer uma recomendação firme à população. O anúncio de quarta-feira provavelmente ajudará a informar essa estratégia.

O comunicado da empresa não especifica quando a segunda dose foi aplicada, mas informações sobre os testes em sites do governo mostram que a empresa estava testando vários intervalos, começando em seis meses.

A notícia veio depois que o CDC anunciou que a eficácia das vacinas contra o coronavírus em geral diminuiu depois que a variante delta - mais contagiosa - se tornou dominante nos casos registrados nos Estados Unidos e em muitos países ao redor do mundo.

Em um estudo em andamento com profissionais de saúde que foram vacinados com as injeções Pfizer e Moderna, a eficácia contra todas as formas do vírus pré-delta caiu de 91% para 66%.

ia/to/llu/ll/ap

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos