Mercado fechará em 3 h 20 min

Segredo: Nova Suzuki V-Strom 1050 é registrada no Brasil e deve chegar em breve

br.info@motor1.com (Daniel Messeder)
2020 Suzuki V-Strom 1050

Apresentada no Salão de Milão de 2019, bigtrail japonesa ficou bem mais sofisticada na versão XT topo de linha

Apresentada no Salão de Milão de 2019, a nova geração da Suzuki V-Strom 1050 está de malas prontas para o Brasil. Representante da marca japonesa no país, a J. Toledo registrou o modelo 2020 da bigtrail no país, conforme mostram as imagens de patente do INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), e deve promover o lançamento nacional até o fim do ano, como linha 2021. 

Com design de linhas mais retas, que lembra a nova Suzuki Katana e as clássicas DR, a V-Strom 1050 2020 tem como destaque o novo farol hexagonal com iluminação em LEDs, acompanhado por um novo (e ajustável) para-brisa e novos protetores de mão com desenho mais angulado. Já o painel agora é todo digital e mais completo, embora mantenha uma tela de LCD  - e não TFT, mais sofisticado, como vem se tornando padrão no segmento. 

2020 Suzuki V-Strom 1050
2020 Suzuki V-Strom 1050

Veja também:

A bigtrail da Suzuki mantém o motor V-twin (bicilíndrico a 90 graus) de 1.037 cc, porém com novo ajuste que aumentou a potência de 100 para 107 cv, além de ter sido trabalhado para atender às normas Euro 5 de emissões. Também foram mantidas as duas versões da moto: básica e XT, mais equipada. As duas compartilham o novo tanque de 20 litros (com autonomia divulgada de 400 km) e o novo chassi e balança de alumínio. As rodas são aro 19" na dianteira e 17" na traseira, com pneus Bridgestone Battlax Adventure A41. 

As suspensões possuem bengalas invertidas ajustáveis de 43 mm na dianteira, da Kayaba, com monoamortecedor regulável em pré-carga e retorno na traseira. Os freios são da Tokico com dois discos de 310 mm na dianteira. O acelerador é eletrônico, com três modos de condução e três níveis de controle de tração. 

A versão XT se diferencia, entre outras coisas, pelo que a Suzuki chama de Intelligent Ride System. É basicamente um computador que monitora e controla os assistentes eletrônicos de condução para melhorar a pilotagem. A tecnologia inclui anda o ABS de curva, que analisa a inclinação da moto, e o assistente de partida em rampa. Ainda como exclusividades, a XT vem com ABS desligável (para off-road), setas em LED, cavalete central e barras de proteção para o motor. 

Preços deverão ficar acima dos R$ 53.900 cobrados no modelo XT 2019. 

Fotos: reprodução e divulgação