Mercado fechará em 6 h 2 min
  • BOVESPA

    112.516,71
    -1.296,16 (-1,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.512,39
    -217,41 (-0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,51
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.766,00
    -5,20 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    21.441,65
    -2.051,35 (-8,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    508,20
    -33,40 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.239,69
    -44,05 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    33.757,00
    -242,04 (-0,71%)
     
  • FTSE

    7.566,42
    +24,57 (+0,33%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,81 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.325,75
    -197,50 (-1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2324
    +0,0186 (+0,36%)
     

Sede da China por commodities esfria após anos de crescimento

(Bloomberg) -- As importações chinesas de commodities enfrentam fortes ventos contrários no segundo semestre, o que pode significar problemas para produtores de todo o mundo que dependem de seu motor econômico para suprir a demanda por energia, alimentos e matérias-primas.

O rápido crescimento na principal economia da Ásia geralmente tem sido suficiente para aumentar as importações a cada ano, criando um suporte confiável para o consumo mundial. Mas esse crescimento está desacelerando, devido a danos à economia auto-infligidos por políticas governamentais, bem como ao agravamento das condições globais.

Importações de energia, em particular, despencaram em junho, encerrando um primeiro semestre fraco que pode prenunciar um raro declínio anual nas compras de muitas commodities. Petróleo, gás, carvão e minério de ferro parecem vulneráveis a quedas bastante acentuadas na demanda.

Petróleo

A economia chinesa deve crescer apenas 3,9% em 2022, de acordo com a última pesquisa da Bloomberg, abaixo da meta de 5,5% do governo e do crescimento de 8,1% do ano passado. É um presságio sombrio para a demanda por commodities que “pode testar o poder de permanência do petróleo acima de US$ 100 o barril”, disse o analista da Bloomberg Intelligence, Henik Fung, em nota.

As importações de petróleo da China dependem fortemente da atividade de viagens e transporte e provavelmente cairão pelo segundo ano consecutivo, à medida que as refinarias reduzem as compras enquanto o país ainda está sob a ameaça de paralisações relacionadas ao vírus. Os estoques continuam altos e os preços internacionais elevados estão afastando os compradores, então qualquer tipo de recuperação provavelmente terá que esperar até o quarto trimestre. Antes de 2021, as importações da China não caíram desde pelo menos 2005.

Gás e Carvão

A China caminha para um declínio sem precedentes nas importações de gás natural. A analista da BloombergNEF Daniela Li espera uma queda de 5,5% para 158 bilhões de metros cúbicos, devido principalmente à menor demanda por cargas marítimas de gás natural liquefeito, que pode cair até 15%.

Existem várias razões para a demanda por GNL cair, de acordo com uma nota da Wood Mackenzie. Elas incluem uma economia moderada, preços internacionais crescentes, apoio do governo ao carvão limpo, um inverno mais quente do que o normal e aumento do uso de energia renovável. A maior produção doméstica de gás e mais oferta de gasodutos também reduziram as importações de GNL.

Ferro

As importações de minério de ferro até junho estão cerca de 4% abaixo do ritmo do ano passado, após caírem em 2021 depois que o governo ordenou que as siderúrgicas reduzissem a produção de níveis recordes em uma tentativa de conter as emissões de carbono. Outro corte foi exigido em 2022.

A vasta indústria siderúrgica da China, enquanto isso, alerta para condições de crise devido à baixa demanda e lucros em queda. Embora seja provável que Pequim precise mais da liga metálica à medida que se volta a gastos com infraestrutura para revitalizar a economia, esses projetos têm longos prazos de entrega. Enquanto isso, a demanda de um setor ainda mais crítico - o mercado imobiliário - piorou à medida que mutuários boicotam os pagamentos de prestações de imóveis inacabados.

A política da China de tentar reduzir sua dependência de fornecedores estrangeiros aumentando a produção doméstica do mineral, e a mudança para produzir aço mais limpo a partir de sucata, também indicam que as importações de minério de ferro provavelmente cairão pelo segundo ano consecutivo, de acordo com a Bloomberg Intelligence.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos