Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.430,01
    +1.099,86 (+2,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Claro será processada por usar termo 5G em campanha publicitária

·1 minuto de leitura
Empresas faz menção à tecnologia que ainda não foi 'oficializada pelo governo
Empresas faz menção à tecnologia que ainda não foi 'oficializada pelo governo
  • O leilão do 5G ainda não foi realizado

  • Claro será intimada para apresentar defesa em um prazo de dez dias

  • Punição pode chegar a multa de R$ 11 milhões

Mais uma operadora de telefonia celular será processada pelo governo federal pelo uso do termo 5G. Depois da TIM, a Secretaria Nacional do Consumidor instaurou processo administrativo contra a Claro por indícios de propaganda enganosa.

Vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, a Senacon vai apurar se a campanha publicitária veiculada pela operadora pode ou não induzir em erro o consumidor sobre o 5G. Vale lembrar que o leilão desta frequência de conectividade ainda não foi realizado.

Leia também:

Segundo informações do jornal O Globo, o órgão não pretende proibir que a empresa anunciante dê notícia ao público que está numa fase avançada de desenvolvimento de um determinado produto, mas é preciso evitar que se tire proveito da falta de conhecimento e experiência do usuário.

A Claro será intimada para apresentar defesa em um prazo de dez dias. Caso condenada, poderá sofrer punições, como multa de até R$ 11 milhões.

Pela legislação atual, as companhias telefônicas não podem transferir ao consumidor o ônus de pesquisar, comparar e diferenciar as funcionalidades técnicas de cada uma das tecnologias implementadas ou a serem implementadas.

A Secretaria também abriu investigação preliminar contra outras duas grandes operadoras, a Oi e a Vivo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos