Mercado abrirá em 7 hs
  • BOVESPA

    122.964,01
    +1.054,98 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.655,29
    -211,86 (-0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,33
    +0,05 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.829,40
    -6,70 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    57.290,19
    +2.387,81 (+4,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.552,99
    +1.310,31 (+539,93%)
     
  • S&P500

    4.152,10
    -36,33 (-0,87%)
     
  • DOW JONES

    34.269,16
    -473,66 (-1,36%)
     
  • FTSE

    6.947,99
    -175,69 (-2,47%)
     
  • HANG SENG

    28.040,60
    +26,79 (+0,10%)
     
  • NIKKEI

    28.209,21
    -399,38 (-1,40%)
     
  • NASDAQ

    13.249,00
    -97,00 (-0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3332
    -0,0122 (-0,19%)
     

Secretário de Joe Biden diz que motoristas de Uber e Lyft são funcionários; ações caem

Lucas Soares
·2 minuto de leitura
Secretário de Joe Biden diz que motoristas de Uber e Lyft são funcionários; ações caem
Secretário de Joe Biden diz que motoristas de Uber e Lyft são funcionários; ações caem

A Uber viu suas ações caírem 6% nesta quinta-feira (29) após um secretário do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, dizer que considera os motoristas da plataforma como funcionários pelas leis do país. A declaração foi dada à agência Reuters e não foi bem recebida pelo mercado.

Essa é uma antiga discussão em relação ao modelo de negócio da plataforma. Se considerados funcionários, os motoristas precisam ser enquadrados nas leis trabalhistas, é justamente essa parte que muitos apps de delivery e de transporte tentam evitar. O argumento das empresas é de que o modelo “informal” dá mais autonomia e liberdade para os prestadores de serviço e que as tarifas precisariam aumentar para regularizar a situação dos trabalhadores. Já os trabalhadores de apps organizados consideram a relação abusiva, já que as horas trabalhadas pelos motoristas nem sempre são recompensadas de forma justa, como com horas extras ou falta por doença, para citar só alguns benefícios.

Uber e o governo Biden

Não apenas o Uber foi afetado com a declaração do secretário de Biden, a Lyft, empresa que atua no mesmo ramo, teve uma queda ainda maior em suas ações, de 11%. Já o DoorDash, que realiza entrega de alimentos, sofreu uma derrubada de 8%. O que todas essas empresas possuem em comum é justamente a relação de informalidade com prestadores de serviço.

Nos Estados Unidos, diversos tribunais já discutiram o caso. Na Califórnia, chegou a ser determinado que as companhias pagassem seguro-desemprego para esses contratados. No entanto, a legislação foi anulada por votação popular. Já em Nova York, um juiz determinou que o Uber pagasse os motoristas. O caso segue na Justiça. A disputa com administração Biden começou quando o presidente escolheu David Weil, crítico do modelo do Uber, para chefiar a Divisão de Salários e Horas de Trabalho do Departamento de Trabalho.

Uma mudança da legislação em escala federal nos EUA nesse momento é vista como improvável. No Reino Unido, em fevereiro, a Suprema Corte determinou que os motoristas de Uber são considerados trabalhadores formais. O Uber se apegou a uma tecnicalidade para defender usa posição. Afirma que o tribunal colocou os motoristas como “trabalhadores” em vez de “funcionários”, que são duas categorias de contratação diferentes na legislação local. No momento, o caso segue indefinido.

Via ArsTechnica

Imagem: vladispas/Pixabay/CC