Mercado abrirá em 7 h 7 min
  • BOVESPA

    104.466,24
    +3.691,67 (+3,66%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.927,38
    +920,22 (+1,84%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,68
    +1,18 (+1,77%)
     
  • OURO

    1.772,90
    +10,20 (+0,58%)
     
  • BTC-USD

    56.558,63
    -8,27 (-0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.440,81
    +1,92 (+0,13%)
     
  • S&P500

    4.577,10
    +64,06 (+1,42%)
     
  • DOW JONES

    34.639,79
    +617,75 (+1,82%)
     
  • FTSE

    7.129,21
    -39,47 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    23.612,43
    -176,50 (-0,74%)
     
  • NIKKEI

    27.862,43
    +109,06 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    15.969,25
    -19,25 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3827
    +0,0025 (+0,04%)
     

Seca paralisa plantio de soja 2020/21 em áreas do Rio Grande do Sul e gera atraso

·2 min de leitura
Produção de soja

SÃO PAULO (Reuters) - O plantio de soja no Rio Grande do Sul alcançou 7% da área projetada, um modesto avanço de 2 pontos percentuais ante a última semana, após paralisações nos trabalhos em algumas regiões gaúchas em função da seca, abrindo um atraso em relação a safras anteriores, informou a Emater-RS nesta quinta-feira.

Em informativo conjuntural semanal, o órgão vinculado à Secretaria de Agricultura local afirmou que o tempo seco, que já vinha prejudicando fortemente as atividades no Estado, afetou a implantação da oleaginosa.

"A atividade foi retomada apenas naquelas (regiões) onde ocorreram precipitações na semana. As lavouras apresentam redução no crescimento, e o plantio está atrasado", comentou a Emater-RS, destacando as más condições climáticas em áreas como as de Ijuí, Erechim, Soledade e Caxias do Sul.

Em igual período da safra anterior, o plantio de soja no Rio Grande do Sul atingia 11%. Na média histórica de cinco anos para a data, a semeadura alcança a marca de 12% da área.

Até a semana passada, apesar da lentidão nos trabalhos causada pela falta de chuvas, o plantio ainda estava dentro da média histórica para o período, de 5%.

A seca também impacta negativamente a safra de verão de milho no Estado, mas algumas regiões localizadas mais a oeste e ao sul, que registraram precipitações ao longo da última semana, tiveram sinais de recuperação, disse a Emater-RS, que vê os trabalhos de plantio à frente da média histórica.

A semeadura do cereal atingiu 72% da área prevista, também avançando 2 pontos percentuais na semana. No mesmo momento de 2019, chegava a 74%, enquanto a média de cinco anos aponta para 70%.

"Em regiões... onde ocorreram precipitações, já há sinais de recuperação das condições de umidade do solo, e agricultores podem dar continuidade ao plantio. Já nas regiões onde o tempo seco continuou, a cultura apresenta redução no potencial produtivo, principalmente nas lavouras em floração", indicou o órgão.

Por outro lado, o semeadura de arroz teve um salto de 28 pontos percentuais na semana, diante de condições favoráveis à atividade nas regiões produtoras. Agora, a semeadura atinge 78% da área, ante 52% na safra anterior e 54% na média.

Em relação às safras de inverno, a ausência de chuvas durante mais uma semana favoreceu a colheita de trigo no Rio Grande do Sul, que avançou 29 pontos, para 60% da área plantada, ante média de 46% para o período, acrescentou a Emater-RS. O Estado é o segundo maior produtor do cereal no país.

(Por Gabriel Araujo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos