Mercado abrirá em 2 h 29 min
  • BOVESPA

    119.297,13
    +485,13 (+0,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.503,71
    +151,51 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,18
    +1,00 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.743,50
    -4,10 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    63.954,21
    +1.395,15 (+2,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.378,17
    +84,18 (+6,51%)
     
  • S&P500

    4.141,59
    +13,60 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    33.677,27
    -68,13 (-0,20%)
     
  • FTSE

    6.901,14
    +10,65 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.900,83
    +403,58 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    29.620,99
    -130,61 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.993,75
    +18,00 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8359
    +0,0047 (+0,07%)
     

SEC apura fraude de ator por acordos falsos com Netflix e HBO

Matt Robinson
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA obteve um bloqueio de ativos contra um suposto esquema Ponzi de US$ 690 milhões operado por um ator de Los Angeles, que mentiu sobre acordos para vender filmes para a Netflix e HBO.

Zachary Horwitz e sua empresa, a 1inMM Capital, alegavam levantar dinheiro para comprar filmes que ele pretendia revender, disse a SEC em comunicado na terça-feira. Na realidade, o ator não tinha nenhuma relação comercial com a Netflix ou a HBO e usava contratos e e-mails falsos para enganar investidores, de acordo com a agência.

O Departamento de Justiça dos EUA divulgou outro comunicado segundo o qual o FBI prendeu Horwitz na terça-feira. Ele usa o nome artístico Zach Avery e foi criminalmente acusado de captar US$ 227 milhões, que ainda não foram reembolsados, como parte de um esquema em que falsamente alegava adquirir direitos dos filmes que a Netflix e a HBO distribuiriam no exterior, de acordo com o comunicado.

Um advogado que representa Horwitz não respondeu de imediato a um e-mail com pedido de comentários.

Embora Horwitz tenha prometido retornos superiores a 35% aos investidores, na verdade durante anos usou o dinheiro levantado de novos clientes para pagar os anteriores, disse a SEC. Horwitz gastou os fundos em despesas pessoais, como a compra de uma casa, viagens para Las Vegas e a contratação de um designer de interiores famoso, de acordo com a agência.

Um tribunal federal na Califórnia marcou uma audiência para 19 de abril com o objetivo de determinar se o bloqueio de ativos deve continuar a ser executado como litígio contra os recursos de Horwitz, disse a SEC.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.