Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.587,82
    +2.144,99 (+3,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Se Mundial de Clubes 2021 for no Brasil, Barcelona-EQU garantirá classificação; Entenda

·2 minuto de leitura

A prefeitura do Rio de Janeiro trabalha com uma possível candidatura da cidade a sede do Mundia de Clubes em 2021, conforme revelo o secretário de fazenda e planejamento urbano, Pedro Paulo. Uma possível realização da competição no Brasil poderia gerar ecos no futebol equatoriano: beneficiado por uma combinação de regulamentos, o Barcelona de Guayaquil garantiria a vaga no torneio.

O raciocínio parece complicado, mas a equação é simples. O Mundial de Clubes destina vagas aos campeões continentais mais uma vaga extra ao campeão nacional do país-sede. A primeira possibilidade para os equatorianos chegarem ao torneio seria vencendo a Libertadores. A equipe está na semifinal, e decidirá uma vaga na decisão contra o Flamengo.

Na outra semifinal do torneio, Palmeiras e Atlético Mineiro disputam a outra vaga, o que significa a presença de pelo menos um brasileiro na grande final. Ou seja, em caso de eliminação para o Flamengo ou derrota na decisão para Palmeiras ou Atlético, o Barcelona termina o torneio como a melhor equipe de fora do Brasil.

Nas regras de sua última edição, o Mundial veta a presença de duas equipes do mesmo país no torneio. Caso a equipe campeã continental seja do país-sede da competição, a vaga do "anfitrião" é transferida justamente para o melhor país classificado no continental fora do país-sede. Na hipótese de um Mundial no Brasil, a vaga cairia no colo do Barcelona.

A classificação deve ser indicada pela confederação organizadora da competição continental, e a única chance de que esse cenário não se concretize seria no caso Conmebol adotar outro critério.

O cenário geraria uma situação curiosa em caso de uma ida do Barcelona à final. O Flamengo, atual campeão brasileiro, teria de torcer para seu algoz visando à vaga de anfitrião. Ainda nessa hipótese de título equatoriano no dia 27, caso o classificado pela Fifa ao Mundial pela vaga do país sede seja o vencedor do Brasileirão de 2021 e não o de 2020, a briga pelo título, que tem Atlético Mineiro, Palmeiras e Flamengo, semifinalistas da Libertadores, definiria também uma vaga no torneio.

Vale lembrar que a vaga de anfitrião é o caminho mais dfícil no Mundial de Clubes para um sul-americano. Ao contrário do campeão da Libertadores, que ingressa já na semifinal, a equipe do país-sede começa na primeira chave do mata-mata, contra o campeão continental da Oceania — este ano, o Auckland City, da Nova Zelândia. É preciso vencer quatro partidas, já contando com a decisão, para ficar com o título. Al Ahly (Egito) e Chelsea (Inglaterra) já estão classificados ao Mundial de 2021.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos