Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.807,21
    +278,24 (+0,57%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,31
    -1,36 (-2,17%)
     
  • OURO

    1.792,10
    +13,70 (+0,77%)
     
  • BTC-USD

    55.807,66
    +292,11 (+0,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.288,00
    +25,03 (+1,98%)
     
  • S&P500

    4.161,07
    +26,13 (+0,63%)
     
  • DOW JONES

    34.055,71
    +234,41 (+0,69%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.854,00
    +59,75 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7007
    -0,0018 (-0,03%)
     

Covid-19: Governo Bolsonaro confirma menos vacinas do que prometido para março

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Coronavirus vaccination in Rio de Janeiro, Brazil, on March 3, 2021. (Photo by Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)

O Ministério da Saúde confirmou a redução de doses da vacina contra o novo coronavírus entregues aos estados. O cronograma anterior tinha previsão de 37,4 milhões de imunizantes para março. Agora, a pasta diz que serão distribuídas 30 milhões de doses.

Segundo reportagem do portal UOL, foram excluídas do cálculo as 8 milhões de vacinas da Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech e representado no Brasil pela Precisa Medicamentos.

Leia também

A farmacêutica ainda não pediu autorização para uso emergencial no Brasil, apesar de visita de cinco técnicos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) às instalações da Bharat Biotech na Índia.

De acordo com o ministério, as previsões “estão sujeitas a alterações de acordo com a disponibilidade dos laboratórios e a real quantidade de doses entregues”.

Entre as 30 milhões de doses previstas, estão as 23,3 mi da Coronavac (22,7 milhões + 600 mil doses residuais de fevereiro), que serão enviadas em remessas semanais; 3,8 mi da vacina da AstraZeneca/Oxford, previstas para a segunda quinzena do mês, serão produzidas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz); e 2,9 mil de doses também da AstraZeneca, mas adquiridos pelo consórcio Covax Facility.

“A partir do quantitativo exato de doses recebidas, o Ministério da Saúde organiza a divisão de forma proporcional e igualitária aos estados e Distrito Federal”, informou a pasta em comunicado.

“Posteriormente, a doses são enviadas aos estados, responsáveis pela distribuição dos imunizantes a todos os municípios brasileiros, que aplicarão as vacinas em suas 38 mil salas de vacinação”, complementou.