Mercado fechará em 39 mins
  • BOVESPA

    111.043,27
    -2.387,27 (-2,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.640,94
    +76,67 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,43
    -2,44 (-3,09%)
     
  • OURO

    1.941,80
    -3,50 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    22.979,49
    -186,88 (-0,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    519,76
    +277,08 (+114,17%)
     
  • S&P500

    4.057,01
    -19,59 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    33.772,65
    -313,39 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.761,11
    -10,59 (-0,14%)
     
  • HANG SENG

    22.072,18
    +229,85 (+1,05%)
     
  • NIKKEI

    27.346,88
    +19,77 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.126,00
    -26,00 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5590
    +0,0434 (+0,79%)
     

Satélite que estudou absorção de energia solar reentrou na atmosfera

O satélite Earth Radiation Budget Satellite (ERBS), da NASA, reentrou na atmosfera terrestre durante a madrugada desta segunda-feira (9). De acordo com a agência espacial, a reentrada ocorreu à 1h04 em direção ao mar de Bering, e o esperado era que grande parte de sua estrutura fosse queimada.

O ERBS foi lançado do ônibus espacial Challenger em outubro de 1984. Parte da missão Earth Radiation Budget Experiment (ERBE), composta por três satélites, o ERBS tinha o objetivo de estudar como a energia solar era absorvida e irradiada pela Terra. O satélite também investigou a estratosfera do planeta com o experimento Stratospheric Aerosol and Gas Experiment II (SAGE II).

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Os dados do SAGE II confirmaram que a frágil camada de ozônio, que protege a superfície do nosso planeta, estava sofrendo redução em escala global. Assim, os dados ajudaram na criação do Protocolo de Montreal, acordo assinado por dezenas de países que resultou em uma queda expressiva no uso de clorofluorcarbonos, compostos capazes de destruí-la. No momento, o SAGE III segue ativo na Estação Espacial Internacional, coletando dados sobre a camada.

Originalmente, o ERBS foi projetado para operar por apenas dois anos, mas seguiu em atividade até 2005. Ao longo de suas atividades, o satélite conduziu observações que ajudaram os cientistas a medir os efeitos da atividade humana no equilíbrio entre a energia que nosso planeta recebe e aquela que é liberada.

A NASA anunciou na última semana que o satélite se aproximava de seu fim, quando os oficiais perceberam que a reentrada era certa. Naquele momento, a agência afirmou que o risco de algum detrito sobreviver à viagem pela atmosfera e atingir alguém em solo era de aproximadamente 1 em 9.400.

O sucesso da missão ERBE ajudou a NASA a desenvolver outros projetos, como os instrumentos Clouds and the Earth’s Radiant Energy System (CERES).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: