Mercado abrirá em 6 h 25 min
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,53 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,47
    +0,08 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.889,60
    +13,00 (+0,69%)
     
  • BTC-USD

    22.747,94
    -634,22 (-2,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    521,55
    -15,31 (-2,85%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,89 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.120,02
    -540,45 (-2,50%)
     
  • NIKKEI

    27.700,33
    +190,87 (+0,69%)
     
  • NASDAQ

    12.545,50
    -78,50 (-0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5602
    +0,0217 (+0,39%)
     

São Paulo tem a cesta básica mais cara do país; veja valores

Norte e nordeste foram as regiões com algumas quedas nos custos na cesta básica (Getty Image)
Norte e nordeste foram as regiões com algumas quedas nos custos na cesta básica (Getty Image)
  • Capital paulista foi o local com a cesta básica mais cara do Brasil em novembro;

  • Porto Alegre, Florianópolis e Rio de Janeiro estão entre as cidades mais caras;

  • No mês passado, deveria ter sido de R$ 6.575,30, de acordo com o Dieese.

Quem mora em São Paulo precisa gastar mais para encher a dispensa de casa com os produtos essenciais. Em novembro, o preço da cesta básica na capital paulista foi de R$ 782,68, segundo dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos.

Na lista, Porto Alegre (R$ 781,52) e Florianópolis (R$ 776,14) e Rio de Janeiro (R$ 749,25) foram as capitais com as compras de supermercado mais caras.

Entre os meses de outubro a novembro, ou aumentos mais expressivos do conjunto de produtos foram registradas em Belo Horizonte (4,68%), Florianópolis (2,96%), São Paulo (2,69%) e Goiânia (2,03%).

Norte e nordeste foram as regiões com algumas quedas nos custos, como em Salvador (-2,12%), João Pessoa (-1,28%), Recife (-1,27%), Natal (-1,12%) e Aracaju (-0,69%).

Em locais em que a composição da cesta é diferente, os preços ficaram ainda mais baixos, como é o caso de Aracaju (R$ 511,97), Salvador (R$ 550,67), Recife (R$ 551,30) e João Pessoa (R$ 552,43).

Salário mínimo e despesas básicas

Além de acompanhar preços, o Dieese também calcula, mensalmente, qual seria o valor ideal do salário mínimo para bancar todas as despesas de uma família de quatro pessoas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Em novembro, o departamento estipulou que o o piso nacional necessário para manter um núcleo familiar deveria ter sido de R$ 6.575,30. Isso é o equivalente a 5,43 vezes o mínimo atual de R$ 1.212.