Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    50.911,37
    +3.115,59 (+6,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

São Paulo segue dependendo de si para o título, mas desempenho caiu bastante

Alexandre Praetzel
·1 minuto de leitura
Tchê Tchê marcou o gol do São Paulo, no empate contra o Athletico. Foto: Robson Mafra/AGIF
Tchê Tchê marcou o gol do São Paulo, no empate contra o Athletico. Foto: Robson Mafra/AGIF

O ponto ganho pelo São Paulo no empate de 1 a 1 com o Athletico-PR, foi importantíssimo na classificação da Série A do Brasileiro. O tricolor manteve a liderança com 57 pontos e segue dependendo apenas de si para levar o título. Essa foi a boa notícia do domingo.

A má notícia foi a má atuação são-paulina. O time foi um amontoado de jogadores dando toques esporádicos para os lados e com pouca capacidade de criação de jogadas ofensivas. O primeiro tempo teve o São Paulo com cerca de 70% de posse de bola, mas sem um chute a gol contra o goleiro Santos. O Furacão marcou bem e ainda aproveitou um erro de passe de Gabriel Sara para contra-atacar e abrir o placar com Renato Kayser.

Na segunda etapa, Fernando Diniz colocou Vitor Bueno no lugar de Bruno Alves, recuando Luan para a defesa. O São Paulo melhorou o rendimento e chegou ao empate, após chute de Tchê Tchê, contando com o desvio em Cristian. Finalmente, alguém arriscava um arremate a gol, evitando um passe aleatório ou carimbado para o flanco ou para trás. A ambição ofensiva esquecida pela maioria dos atletas, foi reencontrada com a atitude de Tchê Tchê.

Parece óbvio que o São Paulo precisará de novas ideias e alternativas de jogo. Isso passa por Diniz e por uma mudança radical na postura do elenco. Justificar a queda técnica pelo desânimo pós-eliminação da Copa do Brasil e mudança de diretoria, é história para boi dormir.

Ou o São Paulo dá respostas imediatas ou ficará na fila, mais um ano, melancolicamente.