Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.936,04
    +200,64 (+0,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Santos perde ação e terá de pagar R$ 6 milhões ao meia Bryan Ruiz

·1 minuto de leitura


O Santos foi condenado pela Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a pagar mais de R$ 6 milhões ao meio-campista Bryan Ruiz, que jogou no clube entre 2018 e 2020. O Santos tem direito de recorrer a decisão. A informação foi divulgada inicialmente pela Tribuna.

Em contato com Bichara Neto, advogado do costarriquenho, limitou-se a dizer que está aberto a uma conversa para parcelar a dívida.

- Recebemos agora a decisão. Em tese, seria possível (um acordo de forma parcelada) - disse.

A CNRD, como é conhecida, tem a competência para desfazer conflitos entre participantes do futebol nacional, seguindo os estatutos e regulamentos da CBF e da FIFA. Antes, os conflitos trabalhistas ficavam a encargo do Poder Judiciário do Brasil.

Bryan Ruiz chegou ao Santos em 2018 com muita expectativa, mas não vingou. Ao todo foram 12 jogos e nenhum gol marcado. Em 2019, no início dos trabalhos de Jorge Sampaoli, o meia alegou problemas nas costas por não estar conseguindo acompanhar o ritmo dos treinos. Desde então, passou a treinar com a equipe Sub-23.

Em 2020, ele chegou a tentar um acordo com o clube para a rescisão amigável, mas as duas partes não conseguiram fechar os números. No meio do ano, ele acionou a CNRD. Com 35 anos, o atleta voltou a Liga Deportiva Alajuelense, da Costa Rica, e também é convocado constantemente pra Seleção nacional.