Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.564,44
    +1.852,44 (+1,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,29
    -0,34 (-0,52%)
     
  • OURO

    1.787,30
    +3,00 (+0,17%)
     
  • BTC-USD

    57.410,86
    +3.359,09 (+6,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.457,26
    +51,96 (+3,70%)
     
  • S&P500

    4.167,59
    +2,93 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    34.230,34
    +97,31 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.039,30
    +116,13 (+1,68%)
     
  • HANG SENG

    28.417,98
    -139,16 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.812,63
    -241,37 (-0,83%)
     
  • NASDAQ

    13.483,50
    -7,50 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4269
    -0,1124 (-1,72%)
     

Santos consegue parecer favorável sobre multa abusiva no Caso Doyen

LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE
·1 minuto de leitura


O presidente Andres Rueda concedeu uma entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira para analisar os 100 primeiros dias de gestão. Entre os pontos principais, o dirigente falou sobre a disputa com a Doyen, que bloqueou 100% das receitas do clube nos primeiros meses do ano.

> Confira a classificação atualizada do Campeonato Paulista

O Santos deveria pagar 5 milhões de Euros em setembro de 2019, mas não fez o pagamento. A multa em contrato estava prevista em 10 milhões e euros, transformando a soma da dívida em 15 milhões de euros (cerca de R$ 100 milhões na cotação atual).

- Nós entramos em uma guerra santa juridicamente e tivemos um parecer favorável do juiz, em segunda instância, onde foi dito que o Santos deve, mas que a multa foge do normal e estabeleceu um milhão de euros de multa (cerca de R$ 6,7 milhões). Em segunda instância, o Santos deve seis milhões de euros (cerca de R$ 40 milhões), não 15 milhões. Claro que cabe recurso, mas agora a gente consegue conversar para tentar um acordo - afirmou o presidente.

Em fevereiro, o Santos conseguiu a liberação de 85% das receitas bloqueadas de televisão e cotas de patrocínio. O presidente, no entanto, deixou claro que, caso venda um atleta hoje, a receita estará bloqueada.