Mercado fechado

Santos banca permanência de Yuri Alberto em grave crise financeira. Venda de Lucas Veríssimo virou necessidade

Alexandre Praetzel
·2 minuto de leitura
Venda possível de Lucas Veríssimo pode amenizar grave situação financeira do Santos. Foto: Rebeca Reis/AGIF
Venda possível de Lucas Veríssimo pode amenizar grave situação financeira do Santos. Foto: Rebeca Reis/AGIF

O Santos vive uma situação financeira muito difícil e isso pode determinar mais um pedido de impeachment contra o presidente José Carlos Peres. O atual mandatário já teve as contas reprovadas em dois anos de gestão e vários conselheiros querem sua saída ou renúncia do cargo.

O blog foi procurado por alguns candidatos à presidência, na eleição de dezembro, para atualizar o delicado cenário santista. Enquanto haverá grandes despesas até o final do ano, as receitas são mínimas. Veja o quadro financeiro a curto prazo, abaixo.

-O Santos precisa quitar três negociações de processos em curso na Fifa: R$ 28 milhões pelo zagueiro Cléber Reis, R$ 25 milhões por Cueva e R$ 10 milhões por Felipe Aguillar(já negociado com o Athletico). Caso não faça os pagamentos, o Santos corre grande risco de não poder contratar novos jogadores e perder pontos na Série A, com ameaça de rebaixamento.

-A diretoria tem um débito de R$ 18 milhões com o elenco e pode ver mais atletas pedindo rescisão contratual na Justica. Éverson e Eduardo Sasha já saíram.

-A folha salarial é de R$ 12 milhões. De julho a dezembro, mais o 13º salário, o Santos terá que pagar R$ 84 milhões. Somando isso à divida com o elenco e os valores devidos na Fifa, o montante chega a R$ 165 milhões, só com as despesas do futebol.

-Receitas previstas não passam de R$ 10 milhões porque as cotas de TV já foram antecipadas.

Assim, alguns conselheiros gostariam que Peres renunciasse para deixar um colegiado administrar o clube até o pleito de dezembro. Há um consenso de que os jogadores não acreditam mais em Peres, depois da redução de 70% dos salários, quando o acordo era de 30%. O desconto gerou revolta no grupo e tumultuou o vestiário.

Além disso, a eliminação no Paulista e a ameaça de demissão de Jesualdo Ferreira aumentaram a desconfiança e deixaram o ambiente ainda mais complicado.

Há quem veja que só a venda do zagueiro Lucas Veríssimo pode estancar um pouco a sangria financeira, sem amenizar a péssima imagem da gestão. Mesmo com tantos problemas, o Santos bancou a permanência de Yuri Alberto, prometendo pagar R$ 10 milhões entre luvas e direitos de imagem, à vista, para ficar com o jovem atacante. Como esse dinheiro chegará? Ninguém soube responder.

O Santos tem um time médio que pode fazer uma boa campanha na Série A, com tranquilidade para trabalhar e salários em dia. Do contrário, a crise pode ficar insustentável jogo a jogo, dependendo do início da competição.