Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.235,76
    +1.584,71 (+1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.808,21
    +566,41 (+1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,62
    -0,31 (-0,34%)
     
  • OURO

    1.803,40
    -10,30 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    24.419,13
    +1.511,29 (+6,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    577,19
    +45,97 (+8,65%)
     
  • S&P500

    4.210,24
    +87,77 (+2,13%)
     
  • DOW JONES

    33.309,51
    +535,11 (+1,63%)
     
  • FTSE

    7.507,11
    +18,96 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    19.856,03
    +245,19 (+1,25%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.442,25
    +50,25 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2479
    +0,0015 (+0,03%)
     

Santander vai liberar negociação de Bitcoin para 40 milhões de clientes

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O terceiro maior banco privado do país, o Santander, está se preparando para nos próximos três meses, ou até antes, disponibilizar a negociação de Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas aos seus mais de 40 milhões de clientes.

Mario Leão, CEO da instituição, explicou que a iniciativa do banco não é um movimento de reação aos concorrentes, mas uma resposta a solicitação dos clientes. Desde 2019, o Santander tem se aproximado das criptomoedas. Naquele ano o banco realizou um teste de emissão de títulos na rede Ethereum (ETH) e, desde 2020, utiliza a da Ripple com intuito de diminuir os custos das remessas internacionais.

Na Argentina, a instituição fez parceria com a startup blockchain Agrotoken, uma empresa que permite realizar transações comerciais e financeiras. Além disso, recentemente, o Santander realizou uma cerimônia de premiação do desafio blockchain no metaverso da Decentraland, um universo virtual 3D.

O Brasil é um dos países com mais investidores interessados em criptomoedas, de olho nisso, bancos como o Santander tem buscado oferecer aos clientes a negociação de criptoativos (Imagem:Reprodução/Envato/jirkaejc)
O Brasil é um dos países com mais investidores interessados em criptomoedas, de olho nisso, bancos como o Santander tem buscado oferecer aos clientes a negociação de criptoativos (Imagem:Reprodução/Envato/jirkaejc)

O avanço do mercado cripto no Brasil

Mercado cripto no Brasil tem experimentando um grande crescimento. Nno ano passado a Chainalysis, uma empresa de análise on-chain, divulgou um relatório detalhando os 20 principais países com maior adoção das criptomoedas. O Brasil ficou em 14º lugar na lista, além de, atualmente, ocupar o quinto lugar no ranking de nações que mais negociam ativos digitais.

Recentemente, outras grandes instituições financeiras do país estão direcionando suas atenções para o mercado de criptomoedas. O Nubank é um deles, a instituição anunciou a intenção de utilizar 1% do capital da empresa para comprar Bitcoin, além também de disponibilizar a negociação de criptomoedas para seus clientes.

A XP, maior corretora de investimentos do Brasil, e o Itaú Unibanco, maior banco privado do país, também anunciaram que pretendem oferecer a possibilidade de seus clientes negociarem criptomoedas. Outro gigante, o banco de investimentos BTG Pactual também está entrando no mercado cripto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos