Mercado fechado

Santander reduz projeção de PIB de 2,3% para 2% em 2020

Valor

Banco cita dados mais fracos da atividade no quarto trimestre de 2019 e temor sobre o impacto da epidemia de coronavírus na economia Citando o choque para a economia global da epidemia de coronavírus, que teria revertido pelo menos parte das expectativas de que 2020 seria o ano de recuperação da economia mundial, o Santander revisou para baixo suas projeções para o crescimento da economia brasileira de 1,2% para 1,1% em 2019, de 2,3% para 2,0% em 2020, e de 3,0% para 2,5% em 2021, em relatório assinado pela economista-chefe do banco, Ana Paula Vescovi.

“Os dados de atividade referentes ao quarto trimestre frustraram e o crescimento econômico em 2019 e 2020 deverá ser menor que o esperado em nosso último relatório mensal”, diz o texto.

Atividade econômica avança 0,89% em 2019, aponta BC

Economia não “pegou no breu”; veja repercussão do IBC-Br

Análise: Atividade fraca leva a novas revisões do PIB

“Apesar das revisões baixistas, entendemos que a composição do crescimento doméstico segue positiva, em particular com a maior participação da demanda do setor privado”, pondera.

O banco avalia que “a agenda econômica reformista não será interrompida, mas poucas propostas devem ser aprovadas em 2020, tendo em vista a grande quantidade de PECs (Propostas de Emenda Constitucional) em tramitação no Congresso e o calendário parlamentar abreviado pelas eleições municipais”.

O Santander prevê a aprovação de um “pacote emergencial de contenção de gastos obrigatórios este ano, o que permitirá manter a despesa federal abaixo do teto constitucional”.