Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.334,62
    +119,12 (+0,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Santander Brasil lucra R$ 4 bilhões no 1º trimestre

*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 6/9/2011 - Fachada da agência do banco Santander, dentro do shopping Tatuapé. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 6/9/2011 - Fachada da agência do banco Santander, dentro do shopping Tatuapé. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Santander Brasil registrou um lucro líquido de R$ 4,005 bilhões no primeiro trimestre de 2022, o que corresponde a um leve crescimento de 1,3% na comparação com o mesmo período do ano passado e de 3,2% ante o quarto trimestre. As informações foram divulgadas na manhã desta terça-feira (26) pelo banco.

O resultado se deve em grande medida ao desempenho da carteira de crédito, que encerrou o mês de março em R$ 455,1 bilhões, crescimento de 7,2% em bases anuais, mas queda de 1,6% em relação ao último trimestre de 2021.

Os segmentos de pessoas físicas e pequenas e médias empresas se destacaram na comparação com o mesmo intervalo de 2021, com crescimentos de 19% e 12,2%, respectivamente.

Entre as pessoas físicas, os produtos que apresentaram as maiores contribuições positivas para os resultados do banco foram cartão de crédito (30,5%), crédito pessoal/outros (30,4%), crédito imobiliário (15,2%) e consignado (9,2%).

Já na divisão de grandes empresas houve uma queda de 10,8%. Segundo o Santander, a baixa se deve principalmente à volatilidade cambial no período, bem como por um menor nível de renovações de operações.

Alta da inadimplência O índice de inadimplência acima de 90 dias do Santander Brasil foi para 2,9% ao final do primeiro trimestre, contra 2,1% em igual período do ano anterior e 2,7% em dezembro.

Entre as pessoas físicas, a taxa de atrasos chegou a 4% no final do mês passado, aumento de 0,88 ponto percentual em bases anuais e de 0,33 ponto na margem.

No caso das pessoas jurídicas, o índice de inadimplência alcançou 1,4%, aumento de 0,39 ponto percentual no ano e de 0,06 ponto no trimestre.

No balanço de resultados referente ao quarto trimestre de 2021, os grandes bancos foram unânimes em indicar a expectativa por um aumento dos pagamentos em atraso ao longo deste ano.

A alta dos juros e da inflação, combinada com um crescimento fraco da atividade econômica, tende a pressionar os gastos das famílias nos próximos meses.

"Continuamos nossa história de crescimento, com resultados consistentes e recorrentes, suportados pela nossa boa capacidade de antecipação de tendências. Nossas medidas permitiram alcançarmos desempenhos sólidos em alguns de nossos principais negócios. Acreditamos em uma combinação de cultura orientada para a expansão e boa capacidade de reação aos sinais, que pode ser evidenciada pela nossa gestão de riscos", disse Mario Leão, CEO do Santander Brasil, no relatório de resultados.

O saldo das provisões para devedores duvidosos, por sua vez, atingiu R$ 28,4 bilhões em março, aumento de 10,4% no ano contra ano e de 4,7% na comparação trimestral.

"Nossa qualidade da carteira de crédito permanece em níveis controlados, apresentando a deterioração já esperada da inadimplência, dado o cenário macroeconômico e alinhado ao volume e mix da originação", afirmou Angel Santodomingo, diretor financeiro do banco.

O ROAE (retorno sobre o patrimônio líquido, indicador que mede a rentabilidade da operação) do Santander Brasil foi de 20,7% no primeiro trimestre, praticamente estável em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (20,6%), e alta de 0,6 ponto percentual na margem.

O Santander Brasil lidera em termos de rentabilidade da operação entre os bancos brasileiros, sendo o terceiro mais rentável em comparação aos pares em escala global, segundo levantamento da Economatica.

O banco aprovou em 14 de abril o pagamento de dividendos e JCP (Juros sobre o Capital Próprio) no montante de R$ 1,7 bilhão, com pagamento a partir de 16 de maio.

RAIO-X |

SANTANDER BRASIL Fundação: Em atividade no mercado local desde 1982

Lucro líquido no 1º trimestre de 2022: R$ 4,005 bilhões

Clientes: 54,8 milhões

Agências: 1.787

Funcionários: 49.090

Principais concorrentes: Itaú Unibanco, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos