Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.866,61
    +807,41 (+1,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Sanduíche de atum do Subway nos EUA tem frango, porco e gado

·2 min de leitura
Sanduíche de atum da rede Subway tem frango, porco e gado. (Foto: Getty Creative)
Sanduíche de atum da rede Subway tem frango, porco e gado. (Foto: Getty Creative)
  • Processo alega que Subway engana clientes sobre seus produtos de atum;

  • Testes de laboratório detectaram presença de carne de porco, frango e gado, e não atum;

  • Ação coletiva ocorre desde janeiro e tem fortes alegações; 

Uma nova versão de uma ação coletiva proposta esta semana no tribunal federal em San Francisco, segue acusando o Subway de enganar o público sobre seus produtos de atum. A novidade é que testes de laboratório mostram que eles contém proteínas animais como frango, porco e gado, e não o anunciado "100% atum", segundo informações da Agência Reuters. O processo busca danos não especificados por fraude e violações das leis de proteção ao consumidor da Califórnia.

Leia também:

As advogadas Karen Dhanowa e Nilima Amin entraram com uma terceira versão de sua ação coletiva que ocorre desde janeiro no tribunal federal na Califórnia. Em resposta, o Subway disse em um comunicado que buscará a rejeição do processo "imprudente e impróprio", chamando as alegações de "sem mérito" e dizendo que seu atum é "100% de alta qualidade" foi regulamentado estritamente nos Estados Unidos e ao redor do mundo.

Pesquisa em laboratório mostrou que atum do Subway não tem "100% atum"

A reclamação original afirmava que os produtos do atum do Subway eram "desprovidos" de atum, enquanto uma segunda contestação dizia que eles não eram capturados de forma 100% sustentável. O juiz Jon Tigar, rejeitou a segunda versão no mês passado, dizendo que os demandantes não mostraram que compraram o atum do Subway com base em alegadas declarações falsas.

O juiz não se pronunciou sobre o mérito e deu aos demandantes outra chance de apresentar seu caso, o que foi apresentado na terceira versão. O novo processo dispõe de testes feitos por um biólogo marinho de 20 amostras de atum retiradas de 20 restaurantes Subway no sul da Califórnia. O processo busca danos não especificados por fraude e violações das leis de proteção ao consumidor do estado.

Os testes detectaram que 19 amostras "não tinham sequências detectáveis ​​de DNA de atum", enquanto todas as 20 continham DNA detectável de carne de frango, 11 continham DNA de carne de porco e 7 continham DNA de carne de gado, contrariando a tese propagada pela rede de fast food, que diz em propagandas desde janeiro que seu atum é "100% atum". A polêmica se torna maior porque muitas pessoas não podem comer alguns desses tipos de carne por conta de suas respectivas dietas ou por questões religiosas.

A acusação disse que os testes mostraram que o Subway rotulou erroneamente seus produtos de atum e "enganou" os consumidores para que pagassem preços especiais. A advogada Nilima Amin disse, em sua tese, que pediu sanduíches de atum da Subway mais de 100 vezes entre 2013 a 2019 e sempre verificou o menu para garantir que comeria "apenas atum".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos