Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.247,15
    -2.542,18 (-2,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.394,03
    -1.070,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,71
    -0,88 (-0,80%)
     
  • OURO

    1.815,40
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    28.761,89
    -1.678,70 (-5,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,57
    -20,11 (-3,00%)
     
  • S&P500

    3.923,68
    -165,17 (-4,04%)
     
  • DOW JONES

    31.490,07
    -1.164,52 (-3,57%)
     
  • FTSE

    7.438,09
    -80,26 (-1,07%)
     
  • HANG SENG

    20.644,28
    +41,76 (+0,20%)
     
  • NIKKEI

    26.911,20
    +251,45 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.890,75
    -44,75 (-0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2234
    +0,0051 (+0,10%)
     

Sandália de 1.700 anos é encontrada em montanha remota da Noruega

·2 min de leitura

Uma sandália da Idade do Ferro foi descoberta em uma montanha nevada da Noruega em agosto de 2019, e vem sido estudada desde então por arqueólogos do país, revelando muito sobre os costumes e história da época, em conjunto com outros materiais encontrados no local, atualmente considerado remoto.

Espen Finstad, arqueólogo responsável pelo trabalho de campo que recuperou a sandália, elogiou a atitude do guia que encontrou o item: ele contatou Secrets of the Ice, centro de pesquisadores que trabalham com arqueologia preservada em geleiras e trechos nevados, ao localizar o calçado nas montanhas Lendbreen enquanto caminhava. Ele mandou coordenadas de GPS e fotografias e o deixou no gelo.

Sapato nas condições em que foi encontrado pelo guia e pelos cientistas, entre o gelo da montanha (Imagem: spen Finstad/Glacier Archaeology Program Innlandet)
Sapato nas condições em que foi encontrado pelo guia e pelos cientistas, entre o gelo da montanha (Imagem: Espen Finstad/Glacier Archaeology Program Innlandet)

Os arqueólogos tiveram de correr, pois só havia um dia de trabalho até uma previsão de neve forte atingir o local, provavelmente escondendo o objeto por anos até um derretimento revelá-lo novamente. Em 2 de setembro de 2019, um dia longo, segundo os cientistas, eles recuperaram a sandália. A datação por radiocarbono, então, a colocou em cerca de 300 d.C. — outros artefatos encontrados na área, como tecidos, não são tão antigos quanto ela.

Mais artefatos encontrados e o que demonstram

Os restos de tecido e estrume de cavalo, que datam da Era VIking (cerca de 800 a 1066 d.C.), mostram que o local já foi uma rota que conectava o interior da Noruega à costa. Segundo os especialistas, as pessoas que viajavam por ali sabiam o que estavam fazendo: eles provavelmente preenchiam o calçado com pele animal ou tecidos quentes. Montes de pedras empilhadas, chamados marcos, mostram por onde a rota corria.

Finstad e equipe teorizam: o viajante provavelmente passava pelo local carregando bens para comércio e, ao ter o calçado danificado de alguma forma, o descartou na encosta da montanha. Há muios vestígios de passagem humana pelo local, mostrando que não havia medo de cruzar os montes gelados. A sandália é inspirada pela moda romana de fazer calçados, indicando contato com outros povos.

Pedaços de tecido encontrados no mesmo local da sandália, datados posteriormente na história (Imagem: Espen Finstad/Glacier Archaeology Program Innlandet)
Pedaços de tecido encontrados no mesmo local da sandália, datados posteriormente na história (Imagem: Espen Finstad/Glacier Archaeology Program Innlandet)

Há, também, pontas e hastes de flecha no passo da montanha, que datam de 2.000 a 3.000 anos atrás, sugerindo que caçadores em busca de renas e outros animais passaram pela região. O achado da sandália, no entanto, ofusca todos os outros: ela e os marcos contam uma história bem clara da época, que demonstra um tráfego e utilização de rotas para comércio e trocas tanto de bens quanto de tecnologias e conhecimentos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos