Mercado fechará em 6 h 6 min
  • BOVESPA

    120.570,41
    +649,80 (+0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.009,91
    +75,00 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,69
    -0,02 (-0,03%)
     
  • OURO

    1.832,60
    +16,90 (+0,93%)
     
  • BTC-USD

    57.304,31
    -178,97 (-0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.514,51
    +78,72 (+5,48%)
     
  • S&P500

    4.221,73
    +20,11 (+0,48%)
     
  • DOW JONES

    34.648,35
    +99,82 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.120,40
    +44,23 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.695,00
    +97,25 (+0,72%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3532
    -0,0134 (-0,21%)
     

Samsung trabalha em tecnologia de câmera usada pela Apple no iPhone 12 Pro Max

Felipe Junqueira
·2 minuto de leitura

Para se manter competitivo em um mercado saturado como o de celulares, é necessário sempre buscar mudanças que ofereçam novas experiências ou melhorias mesmo onde aparentemente não tem mais para onde ir. Com isso em mente, a Samsung está em busca de novidades para seus próximos celulares topo de linha.

No departamento câmera, a gigante sul-coreana pode seguir a Apple em uma alteração que deve aumentar ainda mais a qualidade das fotos: estabilização óptica por deslocamento do sensor de imagem, em vez da lente. O iPhone 12 Pro Max trouxe esta tecnologia para o mercado de dispositivos móveis ao adotar estabilidade do sensor para aumentar a precisão na câmera ultra wide e, de acordo com fontes do site Galaxy Club, a Samsung deve oferecer algo semelhante em breve.

Segundo a publicação, a Samsung “testa um telefone com este deslocamento do sensor há algum tempo”. Ainda não dá para saber se a mudança ficará guardada para o Galaxy S22, previsto para o início de 2022, ou se já chegaria no Galaxy Z Fold 3, a ser lançado no segundo semestre deste ano.

O site holandês ainda lembra rumores recentes de que a Samsung teria conversas para realizar uma parceria com a Olympus, empresa que possui muitos anos de experiência com este tipo de estabilização de imagem.

“Seria tentador pensar que as ambições no deslocamento de sensor da Samsung estão relacionadas à colaboração com a Olympus. No entanto, não podemos (ainda) confirmar se este é o caso, com base em nossas informações”, explicou a matéria.

Estabilização melhorada

Galaxy S21 Ultra compensa tremidas com mecanismo que mantém módulo da lente estável (Imagem: Divulgação/Samsung)
Galaxy S21 Ultra compensa tremidas com mecanismo que mantém módulo da lente estável (Imagem: Divulgação/Samsung)

Celulares topo de linha já oferecem estabilização óptica de imagem há muitos anos, e a Samsung inclusive voltou a oferecer tal recurso na linha Galaxy A, mais especificamente nos Galaxy A52, A72 e A52 5G. A diferença é que estes modelos têm um mecanismo de compensação dos movimentos no módulo da lente, ao passo que a ultra wide do iPhone 12 Pro Max faz o deslocamento do sensor de imagem para garantir a estabilização.

Câmeras profissionais costumam ter este segundo tipo de estabilização. Trata-se de uma compensação na vibração natural das mãos do usuário para evitar que a foto fique tremida, mantendo o sensor na mesma posição o máximo possível. Isso ajuda a evitar os borrões causados pela tremida das mãos no período de tempo entre a entrada da luz pela lente até a chegada ao sensor de imagem, que faz o registro.

Bom notar que a estabilização óptica é diferente da estabilização digital, esta segunda presente em muito mais dispositivos disponíveis no mercado, e consideravelmente menos precisa por depender de aumento no ISO para reduzir o tempo de exposição.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: