Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,99
    +0,08 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.874,60
    -5,00 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    38.899,26
    +3.358,25 (+9,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    975,72
    +33,91 (+3,60%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.022,50
    +28,25 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1904
    -0,0022 (-0,04%)
     

Samsung se une ao Google e confirma que vai usar Wear OS em seus vestíveis

·3 minuto de leitura

Samsung e Google confirmaram a presença o Wear OS nos próximos smartwatches da sul-coreana. Os rumores da troca do Tizen pelo sistema operacional da Gigante das Buscas começaram em fevereiro, e foram confirmados durante a conferência I/O, que começou nesta terça-feira (18).

Na realidade, não é uma simples troca de sistema. Samsung e Google conseguiram um consenso em que o Wear OS será o núcleo do código dos relógios e outros vestíveis da sul-coreana, mas a interface do usuário vai manter a aparência do Tizen, mais amigável aos fãs da linha Galaxy.

A ideia da Samsung é manter o bom funcionamento do ecossistema de dispositivos da marca, que possuem pareamento simplificado e recursos extras entre si, ao mesmo tempo em que abre mais possibilidades ao usuário, com aplicativos e personalização. No fundo, é como se o Tizen fosse absorvido pelo Wear OS, ao menos nos smartwatches da sul-coreana.

“Vamos combinar o melhor do Wear OS e Tizen em uma plataforma vestível unificada. Aplicativos vão abrir mais rápido, autonomia de bateria será maior e você terá mais escolhas do que antes, de dispositivos a aplicativos e visores”, escreveu o Google em seu perfil oficial no Twitter.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Foco em saúde e ecossistema conectado

A Samsung publicou uma espécie de ‘editorial’, escrito por Janghyun Yoon, vice-presidente executivo e líder da equipe da plataforma S/W, em que explicou com um pouco mais de detalhes esta união. Ele repete o que a publicação do Google já havia dito e menciona recursos de saúde como um dos focos dos vestíveis da companhia.

“À medida que nossos usuários recorrem à tecnologia wearable para monitorar seu bem-estar, estamos atendendo a essas necessidades antecipadamente. Ao criar uma tecnologia de saúde em nível mundial, esperamos elevar a forma como as pessoas utilizam o dispositivo para o seu bem-estar, permitindo que realizem mudanças positivas em seu dia a dia”, escreveu.

Além disso, a junção “desbloqueia um mundo de oportunidades para a comunidade de desenvolvedores. Através de um ecossistema amplo e aberto, mais desenvolvedores e parceiros poderão aplicar seus talentos para trabalhar conosco na evolução e redefinição da experiência do smartwatch”, explicou Yoon.

Próximo Galaxy Watch já deve rodar a versão do Wear OS 'customizada' pela Samsung (Imagem: Canaltech)
Próximo Galaxy Watch já deve rodar a versão do Wear OS 'customizada' pela Samsung (Imagem: Canaltech)

Suporte para dispositivos já lançados

O executivo encerra a publicação com a promessa de que a Samsung manterá o suporte a todos os vestíveis já lançados com o Tizen OS por até três anos após o lançamento de cada produto. Com isso, ele dá a entender que não está nos planos da empresa atualizar os dispositivos com a nova experiência do Wear OS, mas que eles terão atualizações de segurança.

Não foi informada uma previsão para os primeiros produtos da Samsung com Wear OS chegarem ao mercado. Acredita-se que o Galaxy Watch 4 deve ser lançado em breve.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: