Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.207,68
    +604,65 (+1,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Samsung quer que donos Galaxy Gear migrem para o Tizen

·2 minuto de leitura
Samsung quer que donos Galaxy Gear migrem para o Tizen
Samsung quer que donos Galaxy Gear migrem para o Tizen

Isto pode soar estranho, mas prestes a voltar para o WearOS, a Samsung agora quer que os donos do seu primeiro relógio inteligente com Android migrem para o Tizen. Lançado em 2013, o Galaxy Gear chegou em um momento em que a ambição da sul-coreana pelo seu próprio sistema operacional crescia. Mas, na ocasião, não deu tempo de embutir o Tizen de fábrica nele.

Qual foi a solução? Liberar o sistema proprietário Tizen para o Galaxy Gear posteriormente. Assim, mesmo saindo de fábrica com o Android Wear para vestíveis (que na época ainda não havia sido nomeado como Wear OS), o modelo poderia migrar para o sistema mais atual — uma política que a empresa não parece querer adotar com o Galaxy Watch 3 agora que fará o caminho inverso. Quem tem o smartwatch de 2013 e optou por seguir no sistema do Google perderá, em agosto, acesso à loja de apps. E só há uma forma de impedir isto: migrando para o finado Tizen.

Procedimento envolve zerar dados do relógio

Este procedimento está disponível há muitos anos — mas envolve o apagão completo de dados e arquivos. Um detalhe aqui é que o Galaxy Gear chegou com uma câmera ao mercado, sendo um dos poucos modelos a captar imagens nativamente — e que precisariam ser transferidas para o smartphone durante a migração de sistema. Outra questão envolve a compatibilidade de apps: a loja do Tizen tem serviços populares, mas não a diversidade do ecossistema Wear OS, que é uma evolução do Android Wear.

Quem ainda tem o Galaxy Gear e não fez a migração para o Tizen, poderá postergar esta decisão até 05/08. Depois disso, a loja de apps ficará inacessível, e o suporte a apps já instalados, prejudicado. A “boa” — e conveniente — notícia é que também em agosto a Samsung deverá oficializar os primeiros Galaxy Watch 4 com a nova interface One UI Watch, feita em cima do Wear OS, e 100% compatível com ele.

Via Sam Mobile

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos