Mercado fechará em 5 h 2 min
  • BOVESPA

    112.372,08
    +493,55 (+0,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    +779,20 (+1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,23
    -0,05 (-0,11%)
     
  • OURO

    1.839,90
    +9,70 (+0,53%)
     
  • BTC-USD

    19.301,37
    +352,12 (+1,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,24
    +14,33 (+3,93%)
     
  • S&P500

    3.669,01
    +6,56 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    29.883,79
    +59,87 (+0,20%)
     
  • FTSE

    6.464,71
    +1,32 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.467,50
    +13,25 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2993
    -0,0205 (-0,32%)
     

Samsung prepara reforço em celulares dobráveis e modelos 5G acessíveis

Rubens Eishima
·3 minuto de leitura

A Samsung Electronics divulgou seu balanço financeiro para o terceiro trimestre de 2020 e, em meio a crescimentos generosos em faturamento e lucro, mencionou que a divisão de celulares prepara a expansão das gamas de aparelhos dobráveis e 5G.

O relatório revela que o número de celulares vendidos cresceu quase 50% em relação ao segundo trimestre. O período entre abril e junho foram os que tiveram restrições de circulação e comércio nas regiões onde a Samsung é mais forte, como Europa e Índia. A fabricante destacou as vendas de modelos mais sofisticados, com o lançamento da linha Galaxy Note 20 e do celular Z Fold 2 no período.

Apesar do número positivo, a empresa se mostra realista para o último trimestre do ano. No quarto trimestre, a Samsung estima que a venda de celulares irá recuar, sem grandes lançamentos no período — a companhia obviamente não mencionou diretamente no relatório, mas a chegada do iPhone 12 deve roubar as atenções e carteiras no período.

Linha Z Fold/Flip deve ganhar novos integrantes em 2021 (Imagem: divulgação/Samsung)
Linha Z Fold/Flip deve ganhar novos integrantes em 2021 (Imagem: divulgação/Samsung)

Mais dobráveis e 5G acessível

Para 2021, a Samsung acredita que o resultado anual será superior ao deste ano, puxado pela adoção do 5G. Nessa linha, o relatório já antecipa que a divisão de celulares dos sul-coreanos buscará aumentar as vendas com mais aparelhos dobráveis e o barateamento de modelos 5G. E ao que tudo indica, a expansão das gamas nos dois segmentos não será restrita à Europa ou América do Norte, com uma menção a um crescimento global na oferta de ambos.

O plano deve contar com ajuda interna, cortesia da Samsung LSI e da Samsung Foundry. A primeira, responsável pelos processadores Exynos, prepara um inédito chip 5G no processo de 5 nm, cuja fabricação ficará à cargo da segunda.

Galaxy A42 5G não deve permanecer por muito tempo como o aparelho 5G mais acessível dos sul-coreanos (Imagem: divulgação/Samsung)
Galaxy A42 5G não deve permanecer por muito tempo como o aparelho 5G mais acessível dos sul-coreanos (Imagem: divulgação/Samsung)

Outros segmentos

As muitas outras divisões do grupo sul-coreano também apresentaram bons resultados. Se o setor de celulares prevê uma queda nas vendas, a chegada do novo iPhone impulsionará a demanda por telas OLED — usadas em toda a linha 12, diferentemente de outras gerações:

O negócio de painéis relatou lucro maior trimestre-a-trimestre, puxado pelo crescimento das vendas de displays móveis [para celulares] nos lançamentos de novos produtos dos clientes.

Já a divisão Foundry — que registrou faturamento recorde no terceiro trimestre — já começou o fornecimento de chips em 5 nm e prevê outro recorde financeiro. O relatório estima que as encomendas de chips para celulares (que conta como clientes não apenas a Samsung LSI, como também a Qualcomm) e computação de alto desempenho (por exemplo, os chips Ampere da Nvidia) continuarão em expansão no final de 2020.

Considerando a Samsung Electronics como um todo, o grupo registrou um lucro operacional de 12,35 trilhões de wons (cerca de R$ 63 bilhões) sob um faturamento de 66,96 trilhões de wons (R$ 341 bi) no terceiro trimestre. A competição no mercado de smartphones e eletrônicos, combinado com uma queda na demanda por chips de memória levou a empresa a prever uma queda nos lucros nos últimos três meses de 2020.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: