Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.345,82
    +1.857,94 (+1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.376,89
    -141,41 (-0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,52
    +0,24 (+0,22%)
     
  • OURO

    1.852,00
    +9,90 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    29.331,12
    -593,51 (-1,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    658,56
    -16,31 (-2,42%)
     
  • S&P500

    3.973,75
    +72,39 (+1,86%)
     
  • DOW JONES

    31.880,24
    +618,34 (+1,98%)
     
  • FTSE

    7.513,44
    +123,46 (+1,67%)
     
  • HANG SENG

    20.470,06
    -247,18 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    27.001,52
    +262,49 (+0,98%)
     
  • NASDAQ

    12.054,50
    +213,75 (+1,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1467
    -0,0061 (-0,12%)
     

Samsung pode usar nova tecnologia para aumentar bateria de celulares

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Samsung poderá implementar uma nova tecnologia de baterias para celulares nos seus próximos modelos. O método já é utilizado em células para carros elétricos há cerca de um ano, e pode aumentar a capacidade dos tanques.

Técnica de empilhamento (stacking) pode aumentar capacidade da bateria em até 10% (Imagem: GSMArena)
Técnica de empilhamento (stacking) pode aumentar capacidade da bateria em até 10% (Imagem: GSMArena)

A técnica consiste em empilhar as células da bateria, que fornecem as transferências de energia a cada ciclo de carga ou descarga. A nova composição viria para substituir o método tradicional de "jelly roll", que ocupa mais espaço na parte interna do celular.

De acordo com especialistas, o "jelly roll" não permite que os componentes sejam posicionados de forma muito apertada, já que os pequenos inchaços naturais que ocorrem durante os ciclos da bateria podem dobrar os eletrodos, danificando-os.

Portanto, o empilhamento permite o encaixe de mais células dentro de um mesmo espaço, aumentando a capacidade em cerca de 10%. Ou seja, as próximas gerações de aparelhos que atualmente têm 5.000 mAh podem passar a ter 5.500 mAh, por exemplo.

Outra vantagem do novo sistema é a possibilidade de produção de celulares mais finos, mas sem comprometer tanto a duração da carga. Isso pode ser especialmente útil nos próximos dobráveis da marca, já que a redução da espessura é um dos principais objetivos a serem cumpridos nos sucessores dos atuais Galaxy Z Fold 3 e Galaxy Z Flip 3.

Linha Galaxy Z Fold pode ficar mais fina nos próximos anos (Imagem: Divulgação/Samsung)
Linha Galaxy Z Fold pode ficar mais fina nos próximos anos (Imagem: Divulgação/Samsung)

As novas baterias serão produzidas inicialmente em uma fábrica localizada na cidade de Cheonan, que fica próxima a Seul, capital da Coreia do Sul. Entretanto, já existem planos para conversão de uma outra planta em Taijin, na China.

Ainda não se sabe quando a nova tecnologia começará a ser implantada em celulares disponíveis para o público geral, mas é possível que ela seja inaugurada com o Galaxy S23 ou mesmo já nos próximos dobráveis. Depois disso, os modelos intermediários e básicos poderão ser contemplados.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos